Elevando-se acima do senso pessoal

Tomar essa atitude é eliminar o sentido pessoal de “eu”. Ao “morrer diariamente” para o senso pessoal de si mesmo, você não reage mais aos medos, crenças, condenações e agravos do mundo; e, portanto, você é indiferente a eles e eles não se infligem com relação a você. Qualquer demanda que é feita sobre você não é feita sobre você, mas sobre o Cristo do seu ser. Portanto, você não tem o direito de reagir a isso. Lembre-se sempre de que as provações e tribulações do mundo nunca se aproximam da morada da pessoa que habita “no lugar secreto do Altíssimo”, que vive e se move e tem seu ser na consciência de Deus. Estar estabelecido na consciência de Deus significa entender, em primeiro lugar que Deus é a sua consciência e, portanto, você nunca aceita nada como pessoal para você, mas deixe que a Consciência Divina de você cuide dele; e em segundo lugar, que Deus é a consciência de todos os seres, e assim, se alguma discórdia ou desarmonia parece entrar em sua experiência, você entenderá que não é de qualquer pessoa, mas de um sentido ilusório dele, que chamamos de “homem, cuja respiração está em suas narinas ”, e dele diz,“ pois de onde ele deve ser contabilizado?”

Entrar nesse sentido mais elevado da vida significa superar o sentido pessoal da vida. Em outras palavras, significa elevar-se a um lugar na consciência em que “os dardos inflamados dos iníquos” não mais o tocam. Mesmo assim, não há garantia de que o mundo não fofoque ou espalhe rumores sobre você, ou que ele não possa disparar balas contra você. Pode fazer todas essas coisas, mas a resposta é sempre a mesma:

“Que diferença faz, pois o Eu de mim é Deus, e nunca posso ser ferido?” Enquanto você viver no sentido de que apenas as qualidades e as atividades de Deus podem fluir de você, que diferença faz o que o mundo faz a você ou a mim?

Toda a experiência da Crucificação serviu como prova de que até os pregos, a cruz e a espada não tinham poder. Além disso, provou que nem a oposição e o ódio da igreja organizada, nem a pompa e glória temporal de Roma eram poder.

A ressurreição celebrada na Páscoa simboliza que o ódio humano à verdade não é poder, que as armas deste mundo – seus pregos e espadas – não são poder, e que a lei humana não é poder. Essa é a grande lição a ser tirada da Crucificação e da Ressurreição. A ressurreição provou que qualquer que seja a forma do mal que nos é imposta, “em três dias”, podemos nos elevar acima dela. Em um curto período de tempo, podemos nos elevar acima de toda e qualquer forma de discórdia ou desarmonia se não apenas não a aceitarmos como um poder real, mas, além disso, não a aceitamos como sendo dirigida a nós como pessoas, mas realmente dirigido ao Cristo do nosso ser, e então estamos dispostos a ver o Cristo anulá-lo.

Onde e quando alguém está ressentido em relação a nós, demonstrando ciúme, inveja ou maldade, engajando-se em uma competição acirrada, ou onde quer que haja ameaça de poder temporal ou falta de apreciação, ingratidão, fofoca ou boato, a resposta deve ser sempre a mesma:

Não faz diferença. “O homem cuja respiração está em suas narinas” não tem poder próprio para fazer qualquer coisa ou ser qualquer coisa, já que Deus é a mente do homem, e todo poder está centrado e emanado de Deus. Nenhum dos Pilatos deste mundo tem poder sobre mim, a menos que venha do Pai no Céus.

Foto por Oleksandr Pidvalnyi em Pexels.com

Quando os filhos de Israel vieram gritando a Ezequias por causa do medo que tinham das grandes tropas que estavam se aglomerando contra eles, ele respondeu com calma segurança: “Seja forte e corajoso, não tenha medo nem fique consternado. . . Com ele é um braço de carne; mas conosco está o Senhor nosso Deus para nos ajudar.” Em outras palavras, o inimigo tinha apenas poder temporal e poder físico. O que foi isso para Ezequias e seu povo?

Eles tinham o poder de Deus.

Não seria estranho ter o poder de Deus e ainda temer o que o homem pode fazer conosco? Dizem-nos para não temer o que o homem mortal pode fazer: “O Senhor está do meu lado; Não temerei; o que pode o homem fazer a mim?” Isso não deve ser interpretado como significando que estamos sentados aqui com Deus, mas que o inimigo não tem Deus; isso não significa que temos um Deus aqui para nos defender contra alguém mal lá fora. Não, isso significa que Deus é o único poder; e com a compreensão de Deus como o único poder, Deus então se torna a única voz que pode ser ouvida.

Não há nenhuma maneira na Terra pela qual possamos estar convencidos de que o mal não é poder a menos que possamos ver que existe um Deus, que Deus É, e que aquele Deus que É, é o único poder, e que esse Deus é realmente a Lei, princípio e substância do ser individual. Acreditar que um Deus aqui em algum lugar é amor, verdade, justiça, misericórdia é fútil. Este Princípio divino é inoperante, a menos que entendamos que Deus é o princípio do ser individual, que Deus é a lei e a substância e a atividade do indivíduo, você e eu, e do indivíduo ele e ela.

Até que você reconheça Deus como ser individual, até que você possa ver Deus, não apenas como um bem universal, mas um bem universal individualmente expresso, não somente que Deus é um poder universal infinito, mas poder infinito universal individualmente expresso, só então você pode olhar para qualquer cada pessoa e saber, “O único poder que você tem é expressar Deus, ou deixar Deus se expressar através de você.” Então, quando alguém se levanta e vangloria ostensivamente, “Olha como eu sou grande! Eu posso crucificá-lo ”, você sorri porque sabe que Deus é a mente, a vida e a alma daquela pessoa em particular que se tornou o Pilatos em sua vida e que ele não poderia ter o poder de fazer outra coisa senão deixar Deus fluir.

Joel – Cartas do Caminho Infinito – Agosto de 1959.

Autor: CAMINHO INFINITO NA PRÁTICA - reggisbrother

Coach Místico. Não sou nada. Não busco nada de ninguém. Nunca serei nada e nem posso querer ser nada. Apenas compartilhando a Graça. Paz, fique calmo.

Nenhum pensamento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s