Quando você está meditando usa declarações?

Pergunta: Quando você está meditando, usa declarações positivas, afirmações ou permanece calado, pensando em alguma pergunta ou em uma única ideia?

Resposta: Quando você medita, faça uma pergunta e pondere. Ao refletir sobre isso, de repente você se sente na consciência de Deus. A partir desse momento, ouça. A verdadeira meditação é apenas ouvir. O restante é apenas com o objetivo de chegar a esse ponto de escuta. Quando você está ouvindo, você está meditando.
O objetivo da meditação é abrir a consciência para Deus. Não tem outro objeto. Não meditamos com o objetivo de ver ou ouvir “alguma coisa”. É verdade que muitas vezes uma declaração chega até nós, ou que uma luz é vista. Às vezes, também, uma pessoa está completamente cercada de luz ou descobre que seu quarto está cheio de luz. Pode ser que ele receba uma comunicação direta, seja na linguagem bíblica ou metafísica, ou de alguma forma absolutamente original para si mesmo. Mas nada disso é necessário.

Deixe-me explicar isso novamente, porque a meditação é muito importante neste trabalho. Todo o objeto da meditação é abrir a consciência. Você não precisa experimentar nenhum fenômeno oculto. A única razão pela qual temos um processo de meditação é porque, em nosso mundo ocidental, poucas pessoas foram ensinadas a se voltar para Deus; ficar quieto e ouvir a Deus. Estamos tentando, através da meditação, reverter essa situação. Estamos tentando aprender a dizer, assim como Jesus: “eu de mim mesmo não posso fazer nada. O Pai que habita em mim, ele faz as obras. ” A técnica da meditação é o processo pelo qual abrimos nossa consciência e deixamos o Pai entrar e assumir o controle. Não há virtude em dizer: “O Pai faz as obras”, se você não tem um Pai para fazê-las. As condições harmoniosamente aprimoradas no mundo exterior são a resposta direta à abertura de sua consciência e ao pedido de entrada do Pai.
O Pai não precisa fluir com palavras. Nem sempre tenho uma resposta em palavras; às vezes é apenas um sentimento. Sei então que o Pai está lá. Tudo o que transmite o sentimento da Presença de Deus é tudo o que é necessário. Às vezes, esse silêncio dura apenas um minuto ou meio minuto. Depois de meditar por um certo período de tempo e aprender a procurar Orientação Divina, você pode descobrir que a meditação se tornou habitual e que você não precisa se sentar para meditar antes de dirigir seu automóvel, caminhar até o escritório, limpar a casa ou atender a qualquer negócio em questão. Tudo o que você precisa fazer é olhar para cima e sorrir, e descobre que isso abre sua consciência. A princípio, pode não funcionar tão rapidamente, e usamos esse processo de meditação para “limpar o caminho”. Quando você chega a esse segundo estágio, não é necessário parar e sentar-se com tanta frequência para meditar. É suficiente apenas manter o ouvido aberto.

Foto por Cliff Booth em Pexels.com

Eu sempre enfatizei: não faça muita leitura. Quando você chegar a uma passagem em qualquer coisa que esteja lendo que se destaque, sente-se e medite nela; pondere; obtenha o significado interno disso.
Precisamos de iluminação interior referente ao mundo exterior. Quando abrimos nossa consciência, a vemos como ela é. Nós não mudamos isso. O mundo exterior já é Espiritual e perfeito. Já é a manifestação da Consciência, mas a estamos vendo através de um copo sombriamente. Quando a iluminação chega até nós e vemos com a visão interior, deixamos de estar entre aqueles que, tendo olhos, não vêem, e aqueles que, tendo ouvidos, não ouvem. Nossos olhos internos começam a discernir a realidade.
Nada muda no mundo. O mesmo velho mundo continua, mas agora de uma maneira mais harmoniosa. Não vemos o que o mundo chama de “anjos” correndo, mas as pessoas que encontramos são anjos para nós, e nos tornamos assim para eles.
Jesus disse: “O reino de Deus está dentro de você.” Isso não é literalmente verdade, mas a Verdade é que você é o reino de Deus. Veja o “reino de Deus” como consciência, e como consciência formada. Não é externo nem interno; são os dois. Em certo sentido, certamente está aparecendo externamente como, por exemplo, nas pessoas que estão aparecendo para nós. Mas espiritualmente, eles não são externos a nós. Eles fazem parte de nossa própria consciência, ou de que outra forma estaríamos cientes deles? Estamos vivendo no que parece ser dois mundos – o humano e o espiritual. É nos dito que estamos neste mundo, mas não dele. Jesus disse: “Não rogo que os tire do mundo”, mas que o mal seja tirado do seu conceito; que o erro seja retirado do seu conceito.
A consciência não pode ser confinada em nada e ser infinita. Então, na verdade, a consciência, sendo infinita, é a entrada e a saída de tudo o que existe. Então essa consciência está sempre se manifestando como criação. Está nele; é disso; é disso; é como é. Mas, na verdade, é a consciência aparecendo. É como se pudéssemos pegar uma sala cheia de ar e criar formas a partir do ar. Estes ainda seriam ar e não estariam dentro ou fora do ar. Literalmente, eles seriam formas de ar. O mesmo acontece com a consciência.
Consciência é substância infinita. Como a consciência é infinita, suas formações, que chamamos de criação, devem aparecer infinitamente porque a própria substância da qual elas são formadas é infinita.

Isso não é verdade para a mente de um compositor? Sua consciência musical não aparece em infinitas combinações de notas? A consciência de um matemático não aparece em uma infinidade de números e combinação de números e fórmulas; ou o artista, pintando centenas e milhares de pinceladas, uma infinidade de conhecimentos artísticos aparecendo como pinturas? O mesmo se aplica a essas palavras que você está lendo. Não são elas mesmas a própria consciência da Verdade, aparecendo em uma infinidade de palavras, sentenças, declarações, exemplos, parábolas e ilustrações? Essa mesma consciência da Verdade pode continuar e escrever centenas, milhares de livros, se o egoísmo não entrar para fazer o escritor pensar que está fazendo isso por si mesmo. Enquanto eu puder manter minha consciência aberta para a Unidade da mente e deixá-la fluir, não há limite para os livros que podem ser escritos sobre o assunto da Verdade. A Verdade, sendo infinita, deve ser infinitamente expressa.
É melhor deixar que a verdade se desenvolva como sua consciência, em vez de abordar este estudo de um ponto de vista puramente intelectual, questionando cada afirmação à luz da razão humana. O maior ensinamento é do desenvolvimento interno. Esteja disposto a ser “ensinado por Deus”. É por isso que enfatizo tanto a ideia de meditação, de desenvolvimento interno, de Deus aparecendo como sua própria consciência individual. Essa é a razão pela qual também peço que você não leia páginas e páginas de livros de capa a capa sem parar. Leia até que algum tipo de ideia se desenvolva ou se desdobre. Então pondere e deixe a luz da Verdade vir de dentro. A verdadeira função de um professor é libertar o aluno do professor. Isso pode ser feito apenas quando você aprende a deixar a Verdade se desdobrar.

Tudo o que lhe for dito intelectualmente não será um ensino espiritual eficaz. Ninguém pode lhe dizer o que é Deus. Posso dizer-lhe que Deus é uma consciência infinita se revelando, mas seria pura tolice pensar que eu lhe disse o que é Deus. Você saberá o que Deus é apenas quando esse conhecimento se desdobrar para você por dentro.
No mundo ocidental, não fomos ensinados a entrar. A experiência é nova para a maioria das pessoas. Alguns foram ensinados a aprender certas declarações, afirmações e negações e a repeti-las. Eles não foram ensinados a ir para o reino de sua própria consciência. A maioria das pessoas não é treinada para meditar. Mas eu sei o seguinte: não há ensino real de fora. O único professor que vai provar algum valor duradouro em sua vida é aquele que pode levá-lo de volta ao reino de sua própria mente e ao reino de sua própria Alma, e aí deve surgir o Infinito Divino.
Minha função não é tanto ensinar a letra da Verdade. No entanto, existem três pontos da letra dos quais é importante que você se lembre: a natureza de Deus; a natureza do ser individual; e a natureza do erro, que estamos sempre lutando neste mundo humano de pecado, doença e morte, falta e limitação. Então aprenderemos não tanto a combater estes, como a encontrá-los vendo através deles.

Quando você entende a natureza do tratamento e da oração, experimenta a natureza do Cristo. O Cristo não é nada no caminho das palavras; é um sentimento. É uma garantia da Presença. Ela surge de nossa própria consciência através da meditação e desenvolvimento. Então você experimenta a revelação de Deus como sua própria consciência individual, e esse é o propósito do Caminho Infinito.


(Do Desdobramento da Consciência, por Joel Goldsmith, Capítulo 12) – Série Perguntas e Respostas



Categorias:Perguntas & Respostas

Tags:, ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: