DEUS, ONIPRESENTE E O ÚNICO PODER – CAPÍTULO 17

Originalmente viemos ao estudo da VERDADE para nosso próprio bem. A maioria de nós chegaram a este trabalho por causa de algum pecado, doença ou falta de nossas experiências. Provavelmente alguns de vocês vieram buscar apenas Deus. Mas acho que a experiência da maioria dos praticantes é que eles acham que a maioria deles chegam a essa VERDADE em busca de libertação dos cuidados e dos males do mundo. Foi assim que eu vim. A maioria das pessoas que conheço vieram por esse caminho. Por algum tempo, é uma experiência muito gratificante aprender que os males físicos podem ser enfrentados através da oração ou tratamento, através do Poder Espiritual.

É uma coisa muito emocionante experimentar uma cura, especialmente se a matéria médica disse que a doença é grave ou fatal. Algumas dessas experiências de cura nunca serão esquecidas por quem as teve. Após a Primeira Guerra Mundial, recebi a notícia muito agradável de que tinha menos de três meses de vida e não havia nada que a matéria médica pudesse fazer para me salvar. Não havia nenhum agente de cura conhecido, nenhuma cura conhecida para o meu problema. De fato, em todos os anos que se passaram desde então, eles ainda não têm cura para essa doença em particular. Em três meses, porém, eu estava completamente curado, tão completamente curado que nunca houve um sinal ou vestígio do problema em todos os anos desde 1921! Eu tive muitas outras curas dessa natureza através do Espírito, e também testemunhei milhares de curas. Muitas afirmações menores, verdadeiras, mas algumas também muito importantes, de acordo com a matéria médica.

Não preciso ensaiar tudo isso para a maioria de vocês, porque provavelmente todos aqui tiveram alguma experiência semelhante, seja com doença ou com pecado. Eu já disse isso antes, não sei se nessas conversas ou não, mas certamente nas aulas, que em 1928, exatamente quando eu estava sentado com um praticante, todo o hábito de fumar, de beber e de jogar cartas desapareceu . Esses não foram grandes vícios, mas erros de acordo com nosso modo de vida espiritual. Tudo isso desapareceu naquela experiência de duas horas, para nunca mais voltar. Foi nessa experiência em 1928 que não só ocorreu a cura do fumo, da bebida e do jogo de cartas, como também ocorreram alguns outros pequenos erros humanos, mas veio a iluminação, uma elevação da consciência acima do que

podemos chamar o plano terrestre. E deixe-me dizer que nunca em todos os anos que se passaram desde então, desci completamente à terra novamente! No entanto, tive muitos problemas durante esse tempo – muitos. Mas, como descobri, todos eles estavam relacionados ao meu próprio desenvolvimento.

Transformo isso em uma reunião de depoimento com um único objetivo e é ilustrar o início do meu trabalho, pois é ilustrativo das experiências da maioria de vocês. É um caso típico. É típico da maioria dos que entram no mundo metafísico, seja através da Ciência Cristã, como eu vim originalmente, ou da Unity, Novo Pensamento ou qualquer uma das outras abordagens metafísicas.

Com o passar dos anos, comecei a encontrar uma diminuição, uma diminuição da satisfação em meu trabalho comum. Logo após essa iluminação, em 1928, comecei a praticar e, em 1930, eu estava profissionalmente no trabalho. A princípio, foi emocionante sentar-se com pessoas doentes e vê-las recuperadas à saúde. No começo, foi emocionante ser chamado em uma casa onde alguém estava morrendo, para sentar(meditando) com ele por um tempo e depois cumprimentá-lo no escritório alguns dias depois. Sim, foi uma emoção. Naqueles primeiros dias, foi uma experiência que vinha com frequência, porque na minha inocência juvenil eu não sabia como isso foi feito. Isso tornou mais simples e fácil de realizar. Era apenas necessário sentar-se em silêncio, estar em paz, sentir a Presença do Espírito e, em seguida, a próxima coisa a ouvir era: “eu me sinto maravilhoso!”

Por um tempo, como eu disse, foi uma emoção. Então veio a conclusão:

“Gostaria de saber o que estou fazendo neste trabalho? Gostaria de saber se estou me tornando um médico? Será que estou aqui apenas para interromper dores de cabeça ou resfriados, gripe ou câncer? E porque? O que é tão maravilhoso em parar a dor de alguém ou libertá-lo de algum mal para que ele possa voltar ao seu modo de vida humano habitual? Afinal, continuar nesse ritmo é apenas dar às pessoas alguns anos de não-dor, onde elas podem ter tido dor ou mais alguns anos de experiência aqui na terra. ”

Lembro-me de uma vez que tudo que eu estava fazendo era ajudar as pessoas a mudar as datas em suas lápides! Então esse novo desdobramento veio a mim e começou a trazer essas curas não apenas pelo bem da cura, mas como parte da regeneração espiritual. Em outras palavras, meu pensamento e atividade se concentraram mais em abrir a consciência das pessoas para a Realização da Presença de Deus e do poder de Deus e da disponibilidade sempre de Deus. Eu encontrei, então, uma maior sensação de paz e alegria no meu trabalho. As curas ocorreram, mas não estavam mais associadas, pelo menos em meu pensamento, a apenas transformar dor em facilidade, ou doença em saúde, ou falta em abundância. Agora me parecia que eu estava quase cumprindo a missão do Mestre quando ele disse especificamente: “Não pense na sua vida”. Ele nos deu as maravilhosas mensagens de que é um grande prazer do Pai nos dar o Reino, de que: ao buscar o Reino de Deus, todas essas coisas seriam acrescentadas a nós. Não adianta ir atrás delas, não adianta tentar demonstrar, não adianta tentar alcançá-las ou realizá-las, já que elas seriam adicionadas sem nenhum esforço – se encontrássemos o Reino de Deus.

Ao trabalhar nessa linha, a próxima coisa que surgiu foi: Esse Poder Espiritual é algo que pode ser utilizado apenas para o benefício de um indivíduo ou é algo que pode ser disponibilizado ao mundo?

E foi enquanto estudava a vida e as obras de Buda, que uma grande luz apareceu em meu pensamento. Foi quando cheguei àquela passagem em que Buda falou de seu desejo de fazer algo depois que ele percebeu que existia pecado, doença e morte no mundo. Ele indicou que em nenhum momento lhe ocorreu pensar em curar pessoas. Em nenhum momento entrou em seu pensamento que seria bom curar as pessoas de seus pecados ou doenças. A única coisa que se registrou com ele foi:

“Existe um princípio que elimine o pecado, a doença e a morte do mundo?”

Isso é tremendo, você sabe disso? Existe um princípio que elimine o pecado, a doença e a morte do mundo?

Não, existe um princípio ou lei que cure este ou aquele, ou deixe de curar este ou aquele, mas existe UM PRINCÍPIO que, se entendermos sua operação, tiraria absolutamente do mundo o pecado, a doença e a morte? A partir daquele momento, isso se tornou minha oração, minha meditação. A partir daquele momento, procurei UM PRINCÍPIO que, quando entendido, não apenas curaria uma pessoa, mas também tiraria o pecado e a doença do mundo.

Bem, será necessário o trabalho das próximas gerações no sentido de descobrir se esse PRINCÍPIO foi redescoberto. Buda descobriu esse PRINCÍPIO. Sem dúvida, ele o encontrou. Sua iluminação revelou o PRINCÍPIO de que não há pecado, doença ou morte; que essas não são realidades, mas são meras crenças no pensamento humano que, quando reconhecidas, são feitas para desaparecer. Buda fez um maravilhoso trabalho de cura, e seus discípulos também, até que seu trabalho tornou-se “organizado”. Isso terminou esse grande trabalho.

Agora, se esse PRINCÍPIO foi ou não redescoberto, se esse PRINCÍPIO funcionará ou não para eliminar o pecado, a doença e a morte da consciência humana, o tempo dirá. Mas agora chegamos a esse ponto: este é realmente um novo lugar em nossa experiência individual.

Existem condições no mundo hoje, e sempre existiram, que prometem mal e destruição ao mundo. Não importa se alguém acredita que o Novo Acordo possa fazê-lo, se o socialismo ou o comunismo o fará, ou se uma bomba atômica o fará. Isso não é importante. A questão é que qualquer uma delas ou todas elas são, atualmente, suspeitas. Aquelas pessoas em todo o mundo estão começando a temê-los. Há um grande medo no mundo. Você não precisa conhecer muitas pessoas para descobrir o quão grande é esse medo. Medo de outra guerra; medo de guerra atômica; medo de guerra de germes e contágios.

Com todo esse medo no mundo, também veio o lado oposto da imagem. Estamos começando a ouvir as pessoas falarem de um Poder Espiritual com o qual pode-se superar a bomba atômica ou a próxima guerra ou a próxima depressão. Começamos a ler na mídia impressa que nada impedirá essa catástrofe que virá, exceto o Poder Espiritual. Sabemos que mesmo as pessoas que não estão interessadas em Metafísica, que não sabem nada sobre Metafísica, estão falando sobre Poder Espiritual ser uma possibilidade – na verdade, é a única possibilidade – de impedir esses assuntos horríveis e temidos no mundo.

Agora, é uma coisa maravilhosa ler tudo isso sobre Poder Espiritual. É maravilhoso saber que nesta era faremos um maior avanço no Poder Espiritual e no entendimento Espiritual do que nunca. É uma coisa maravilhosa ler na mídia impressa que mais e mais pessoas estão se voltando para o pensamento espiritual, para o Poder Espiritual.

Mas você já parou para pensar que ninguém nos disse o que é esse Poder Espiritual e como devemos utilizá-lo? Essa é a questão. Essa coisa de ler que o Poder Espiritual pode fazer, ou que o poder espiritual pode realizar, é uma coisa bonita. Mas o que é Poder Espiritual? Como você usa o Poder Espiritual para superar os efeitos da guerra atômica ou evitá-la? Como você iria sobre trazer Poder Espiritual para os problemas? Qual é o Poder Espiritual? Como funciona? E quem deve fazer a operação?

Agora, antes de chegarmos a um ponto em que o Poder Espiritual realmente faz essas coisas maravilhosas, alguns de nós terão que saber muito mais do que sabemos agora sobre o Poder Espiritual e como trazê-lo para a nossa experiência. Então, voltemos novamente às curas que ocorreram em nossa experiência. Estes surgiram através deste Poder Espiritual. Se algo foi curado no mundo metafísico, foi curado através do poder espiritual. O Poder Espiritual foi trazido à experiência pelo praticante na maioria das vezes, embora ocasionalmente pelo aluno. Principalmente, como você sabe, o médico fez o trabalho e o paciente apenas disse: “Obrigado, isso foi lindo!”

Às vezes, um indivíduo é capaz de resolver seus próprios problemas. Normalmente, quando isso acontece, ele acaba se tornando um praticante. Agora, qual foi o Poder Espiritual que foi acionado para curar uma doença ou superar um pecado? Poderíamos começar com a afirmação de que era o Poder de Deus, mas isso seria tão intrigante quanto dizer que era Poder Espiritual. Seria verdade; é uma afirmação verdadeira; é o Poder de Deus. Mas, novamente, qual é o Poder de Deus e como ele opera? Quero que isso fique claro para todos nós: o Poder Espiritual é um poder que se baseia na realização do TODO de Deus e, na verdade, é a realização da irrealidade daquilo que apareceu como o poder da doença, ou o poder do pecado. É aí que o Poder Espiritual se torna evidente como cura.

Qualquer igreja no mundo lhe dirá que Deus é tudo, ou que Deus está em tudo, que Deus é todo poder. E, no entanto, essas declarações não curaram doenças na igreja ortodoxa, exceto naqueles raros casos em que o próprio ministro pode ter uma natureza muito espiritual e por sua própria natureza, não pelo ensino da igreja, nem por declarar que Deus é tudo, pegou algum grau do Cristo. O Ministro, rabino, padre – algum indivíduo – havia capturado um certo grau de Cristo, e isso fez a cura.

Foi somente quando o mundo metafísico surgiu que a cura poderia ocorrer, não apenas um acerto ou um erro, não apenas quando alguma alma espiritualmente desenvolvida apareceu e realizou curas, mas com regularidade real como resultado de um Princípio, Regra ou Lei. O Princípio da cura é baseado no TODO de Deus, mas no TODO de Deus nunca é levado à demonstração real, exceto na proporção em que um indivíduo passa a conhecer e perceber o nada, a falta de poder, naquilo que aparece como pecado ou doença. Para os sentidos humanos, a doença é muito real. De fato, algumas formas podem ser vistas sob um microscópio e outras nem sequer exigem um microscópio, porque você pode vê-las com os olhos sem ajuda. E, no entanto, o Poder Espiritual revela que não há um pouco de poder nessa doença, que o poder existe não na própria doença, mas na crença universal ou no medo sobre a doença.

Agora, se uma única cura já ocorreu na história do mundo – e, é claro, todos vocês sabem que houve milhões dessas curas – através da realização do não poder daquilo que aparece como infecção ou contágio ou germe , se pelo menos um caso foi realmente curado por meio dessa conscientização, UM PRINCÍPIO é descoberto e esse PRINCÍPIO é o não-poder, a irrealidade de todos, e isso parece sentir na forma do que chamamos de erro, pecado ou doença. Esse é o Poder Espiritual.

Agora, se isso é verdade, e sou alguém que acredita com tanta firmeza que passo minha vida vivendo apenas para esse fim, torna-se necessário que cada um de nós, de alguma forma e em certo grau, compreenda também, que quaisquer forças estão em operação neste mundo que afirma ter o poder de produzir o mal, de produzir a morte, a falta ou a limitação, não são poderes. Torna-se necessário que saibamos que o pensamento humano em todo o mundo que planejam e moldam essas coisas, consciente ou ignorantemente, não é poder. E não se esqueça disso: há mais homens e mulheres conspirando e planejando a destruição da sociedade humana ignorantemente, do que aqueles que a praticam cruelmente. Não esqueça disso. Nem sempre é um trapaceiro sentado em uma sala tramando o que o mundo tem que ter medo. Eles são tão poucos, e seu poder em si é tão pequeno, mesmo do ponto de vista humano, que não são eles que devem ser temidos. São realmente os enganadores ignorantes dessas pessoas, os benfeitores ignorantes que se tornam as ferramentas desses, que circundam o globo e acabam provocando essas más condições.

Foto por cottonbro em Pexels.com

Na experiência humana, eles são tão poderosos quanto a infecção e o contágio no reino da doença. Em outras palavras, ninguém aqui bem fundamentado na metafísica, jamais declararia que a infecção e o contágio não são ameaças sérias no mundo humano, quando são acreditados pelo mundo humano. Tudo o que precisamos fazer é pensar na epidemia de gripe ou na epidemia do “vírus X” ou na epidemia de poliomielite para saber que, no mundo humano, essas crenças humanas operam como lei e agem para produzir sua própria imagem e semelhança na doença. Mas se um tratamento metafísico provou que essas infecções e contágio não são poder, então é nosso dever provar que os próprios pensamentos, as próprias crenças de natureza político, de natureza governamental, de natureza econômica, que ameaçaria ser tão desastrosa quanto uma epidemia, também não é um poder.

Gostaria de contar sobre a experiência do Estado de Nova York quando seu legislador estava debatendo a legalização da prática da Ciência Cristã. Um médico se dirigiu à legislatura e disse que, se essa forma de prática fosse legalizada, em uma geração toda a civilização seria exterminada, todo ser humano desapareceria da face da Terra. E ele provou isso! Ele tinha as figuras com ele; ele tinha todos os seus papéis; ele provou matematicamente que estava correto porque uma pessoa pegaria essa infecção ou doença contagiosa e a negligenciaria através do tratamento da Ciência Crista, e essa negligência levaria alguns membros de sua família a contrair a doença; então, é claro, o vizinho concordaria com isso, e depois a pessoa do outro lado da rua e depois as crianças na escola da esquina; e, portanto, matematicamente, seguindo os números que ele deu, era fácil ver que em apenas uma geração não haveria mais pessoas na Terra. Bem, é claro, isso deu ao advogado da Ciência Cristã a oportunidade de sugerir que um adiamento no caso fosse declarado, para ver se isso realmente funcionaria dessa maneira. Eu acredito que foi um ano depois, quando eles se conheceram.

Eles descobriram que até agora, pelo menos o estado de Nova York não estava sendo exterminado por infecção ou contágio, apesar da negligência que as pessoas estavam enfrentando. O projeto foi aprovado e, desde então, a prática da Ciência Cristã foi legalizada nesse estado.

Experiências semelhantes ocorreram em outros estados. Em Massachusetts, um médico afirmou que, se pudessem provar a cura de um caso de hanseníase, ele não teria objeção à legalização da Prática Metafísica. Eles trouxeram um médico, um médico de St. Louis, Missouri, que havia sido condenado por seus próprios associados e declarado doente de hanseníase, e que estava a caminho da colônia de leprosos na Louisiana. Aquele homem teve cinco dias entre o momento em que recebeu o diagnóstico e o tempo que teve para deixar sua casa, e nesses cinco dias ele foi curado através de Tratamento Metafísico. Ele foi testemunha da assembléia legislativa em Massachusetts e trouxe com ele todas as evidências, todos os diagnósticos desses médicos e também as declarações de sua cura. Depois disso, essa prática foi legalizada em Massachusetts.

Estou contando isso com um propósito: mostrar que as coisas que o mundo chama de perigosas – infecção e contágio, quando o mundo humano acredita no poder da infecção e contágio – podem ser anuladas e superadas pelo Poder Espiritual; e, esse Poder Espiritual é o reconhecimento e a realização do fato de que: aquilo reivindica poder, ou aquele cujo poder é reivindicado pelo mundo da medicina, na verdade não é poder.

Agora, todos estudantes do Caminho Infinito testemunharam a cura de doenças contagiosas ou infecciosas. São testemunhas do fato de que a infecção ou o contágio não é poder. A maioria das mulheres na metafísica, em um momento ou outro, se queimou em suas cozinhas e provou a indolência e a cura dela, de modo que elas são testemunhas vivas do fato de que as leis da matéria não são leis.

Essas leis são crenças e são anuladas no momento em que “um com Deus”, “um com a Verdade” aparece e percebe que aquilo que aparece como pecado ou doença, infecção ou contágio, não é lei, não é poder.

Segue-se que, quando falamos de Poder Espiritual, estamos falando sobre o poder de uma Consciência imbuída da VERDADE de que: somente aquilo que emana de Deus é Poder; somente aquilo que emana da Mente Divina, do Amor Divino ou do Princípio Divino do universo é poder. Aquilo que os homens estabelecem como poder não é poder. Nem sequer é lei. Opera como tal e age como tal, mas “um com Deus é a maioria”. Um nesta Verdade é a maioria. Assim, quando um praticante imbuído, inspirado com essa Verdade – a Verdade da natureza do erro, a Verdade de que o erro em si mesmo, aparecendo dessa forma ou daquela, não é poder, não é causa, não pode produzir qualquer coisa e que apenas nossa reação a ela lhe dá o poder – tal praticante é imbuído de Poder Espiritual.

Não basta saber que Deus é Tudo e que Deus é Amor. Não basta sair cantando hinos de louvor a Deus e para Deus. Enquanto houver a crença em nosso pensamento de que Deus é um poder misterioso que curará doenças, curará ou reformará pecadores, ou que Deus vencerá alguma forma de erro, dessa forma não somos imbuídos de Poder Espiritual.

O Poder Espiritual é a percepção de que somente Deus, somente o Bem, somente o Espírito, é Poder; e que tudo o que aparece na forma de experiência humana não é poder!

Ninguém pode ter esse Poder até que ele perceba isso. Agora, uma vez que utilizamos esse Poder espiritual, esse entendimento do nada do que aparece como erro; uma vez que percebemos isso na cura de um resfriado, dor de cabeça, calo ou joanete, e fomos cada vez mais longe, até vermos cânceres curados, tuberculose curada, tumores curados, até ver seções inteiras de comunidades realmente curadas de todas as coisas (na epidemia de gripe espanhola vimos praticantes curar bairros inteiros, mesmo que as pessoas não fossem metafísicas), até que chegamos a esse ponto temos o direito de procurar outras pessoas e dizer: “E os males nacionais ou internacionais?”

A bomba atômica não pode se lançar. Uma guerra não pode se declarar. Um pânico não pode acontecer por si só. Uma depressão não pode surgir por si mesma. É preciso que os pensamentos dos homens produzam essas experiências. As perguntas que chegamos são: “O pensamento humano é poder? O pensamento humano é capaz de tanto mal?

A resposta é sim! Sim, definitivamente é – assim como os germes são capazes de espalhar doenças. ” Isso é até que “um com Deus” venha a se tornar uma maioria. Este “Um” entende que o pensamento humano, individual ou coletivo, não é poder.

Sabe, é interessante observar alguns dos trabalhos de cura metafísica, especialmente a parte que se aproxima do campo da medicina psicossomática na qual o poder é dado ao pensamento humano. Aqui são reconhecidos tais ensinamentos que o ressentimento causa reumatismo, o ciúme causa câncer e assim por diante. Ao mesmo tempo, acreditava-se sinceramente que isso era verdade – esse ensino tinha ampla circulação. Por uma questão de fato, foi uma grande parte do ensino original da Ciência Cristã, até que a Sra. Eddy reconheceu o nada e escreveu aos alunos dizendo-lhes que devolvessem a ela todos os documentos que continham “listas” psicossomáticas. (Esse ensinamento, no entanto, foi perpetuado em uma parte do movimento da Ciência Cristã, mas você pode descobrir facilmente se o trabalho de cura é realizado pelos praticantes que aplicam essas técnicas.)

Onde quer que neste trabalho você encontre pessoas com uma Consciência Espiritual Desenvolvida, encontrará pessoas que reconheceram que o pensamento humano é uma avenida da consciência, mas não é um poder. Você não pode sentar lá – todos vocês juntos – e trocar esse botão do meu casaco para um diamante! (Se você puder, eu apreciaria que você fizesse isso!) E todo o mundo reunido não pode se sentar e praticar o mal em uma pessoa no estado de doença – a menos que essa pessoa queira renunciar à sua soberania de pensamento e dizer: “Sim, sim. ! Eu entrego meu corpo para você! Vá em frente e me deixe doente! Eu acredito que você tem poder sobre mim. Sim, você pode praticar mal nessa pessoa. Mas você não pode praticar mal a pessoa que conhece a Verdade Espiritual que Deus deu ao homem domínio sobre o mar, o ar, a água e todas as coisas dentro e fora da Terra. Quem sabe que uma verdade está livre de más práticas; quem conhece seu próprio domínio dado por Deus, é Livre.

Por isso, o Novo Testamento está cheio de “Tudo o que tenho é teu.” Toda a oração de Jesus era que o Pai glorificasse sua glória.

Você pode imaginar ser glorificado com isso, e então alguém lhe dando dor de cabeça ao pensar que estava doente? Ou desejando que estivesse doente? Vamos acabar com esse absurdo! A mente humana é uma avenida da consciência. Através do meu pensamento humano, posso me tornar consciente de que você está aqui, mas não posso com o meu pensamento humano trazê-lo aqui. Nenhum tratamento jamais conhecido traria alguém aqui, exceto o verdadeiro tratamento da Onipresença de Deus que não está trazendo alguém; está percebendo que ele já está aqui.

Repetidamente, chamo a atenção para a grande oração que o profeta hebreu fez quando seu servo pensou que o inimigo era forte demais para eles. Ele orou e disse: “Abra os olhos para que ele veja!” E quando os olhos do criado foram abertos, ele viu que “a montanha estava cheia de cavalos e carros de fogo”. Essa oração não colocou aqueles guerreiros lá; ao pensar não fez isso. Ah não! Através da consciência inspirada do profeta, ficou evidente que eles já estavam lá, por causa da Onipresença de Deus.

Foi isso que os colocou lá. Onipresença de Deus. Então assim seja conosco. A oração inspirada, o pensamento inspirado de qualquer indivíduo abrirá seus olhos para a Verdade da Onipresença de Deus que aparece como Domínio e Vida e Verdade e Amor, Alma, Espírito, pureza. Mas eu prometo a você que nada desse pensamento jamais trará o diabo para lá. Nem sempre sinta que existe um diabo, pois no Ser Infinito de Deus não existe um poder do mal.

Agora, novamente, eu estou usando isso como uma ilustração maior. Podemos, através do conhecimento desta Verdade da Onipotência de Deus, da Onipotência do Bem – a Onipotência e Onipresença do Espírito, Alma e Mente – podemos ser Um com Deus e ser uma maioria que podemos anular todo o pensamento humano cruel e ignorante, de modo que que não funcionará como a experiência da população do mundo?

Cada vez que você ler sobre o Poder Espiritual, não esqueça de dizer: “Espero que seja Verdade” ou “Eu gostaria que isso fosse Verdade” ou “Eu acredito que isso é Verdade”. Utilize esse Poder Espiritual. Nós aqui somos um grupo pequeno demais; todos os metafísicos do mundo são um grupo pequeno, mas podem ser grandes o suficiente para superar essa crença de que o pensamento humano é um poder se puderem voltar à Verdade real de que apenas a Mente de Deus é Poder.

Vi mais curas ao perceber que o pensamento humano não era poder do que jamais tive em qualquer outra forma de tratamento que já conheci. Eu estudei esses trabalhos. Estou nele há tempo suficiente para saber quais são os diferentes ensinamentos e certamente já investiguei o suficiente; e ainda posso ver, depois de mais de dezenove anos, mais trabalho realizados com sucesso sabendo que o pensamento humano não era poder, que o ódio humano não era poder, e que ciúme, inveja, malícia, ressentimento, não podiam criar nada. Se esse ódio estava em seu pensamento em relação a outra pessoa ou no pensamento de outra pessoa direcionado a você, não poderia ter poder.

Quando começamos a ter o menor vislumbre dessa verdade, estamos prontos para a experiência de Cristo. Nunca duvide disso por um minuto – Cristo é uma realidade! Cristo é uma experiência que qualquer um de nós pode ter, e pode ter à vontade, a qualquer momento, qualquer dia da semana. Cristo governa e controla nossa experiência individual na proporção em que somos capazes e prontos para aceitar essa grande verdade da onipotência e onipresença de Deus, a percepção de que tudo o que se disfarça de pensamento humano, vontade humana, desejo humano, luxúria, ganância, animosidade, não é poder. São sombras de uma crença sem nada para sustentá-las, a não ser nosso próprio medo delas, nossa própria aceitação delas, como poder.

O que é este Cristo que podemos desfrutar, que, se o provarmos individualmente, podemos finalmente esperar prová-lo coletivamente? Cristo deve ser realizado para viver em sua experiência e na minha. Cristo é realidade, mas Cristo deve ser manifestado através do seu desejo consciente, através do seu esforço consciente, através da atividade consciente do seu ser diário.

Você sabe, o grande mistério é que Deus é a mente e a consciência de cada um e de mim mesmo; Deus é sua mente e a minha; Deus é sua consciência e minha. Não precisamos subir aqui em uma nuvem para Deus. Não precisamos entrar em contato com Deus ou nos unir a Deus. Deus está bem aqui onde estou. “O lugar em que você está é terra santa.” “Eu e meu pai somos um.” “Aquele que vê-me vê aquele que me enviou.” Bem aqui. “Para onde irei do teu espírito? . . . Se eu arrumar minha cama no inferno, eis que Tu estás aí”.

Aqui e agora, Deus é a minha mente, a minha alma e a minha consciência.

Sem esse entendimento, não temos esperança de trazer à luz o Cristo em nossa experiência, pois o procuraremos onde ele não existe – aqui, separado e à parte de nosso próprio ser. Se chegarmos a esse conhecimento mesmo intelectualmente, essa Escritura é verdadeira e que Deus é Amor, mas que Deus não é Amor por aí; que Deus é o Amor que se expressa aqui, onde estou; que Deus é mente, mas não uma Mente Divina em algum lugar lá fora; que Deus é a Mente Divina do meu ser e sua aqui, então demos o primeiro passo em direção à Demonstração de Cristo.

Foto por Andrea Piacquadio em Pexels.com

Cristo é aquele estado de consciência, sua consciência e a minha, onde o ódio, o medo e o amor ao erro foram removidos. Se, no menor grau, você pode perder o medo do erro – seja o medo do pensamento humano ou da emoção humana; se é o medo do pensamento errado de outra pessoa ou o seu próprio pensamento errado; se é o medo do pensamento mortal universal ou se é o medo da infecção, contágio, falta ou limitação – se, em certa medida, o medo pode ser removido da sua consciência, nesse grau sua consciência é a consciência de Cristo.

Certamente, quando atingimos a plenitude de Cristo, é quando podemos andar sobre as águas porque não temos mais medo de afundar ou de perder a vida. A única razão pela qual não andamos sobre as águas agora é a crença de que temos uma vida e podemos perdê-la se afundarmos nas águas. Depois que perdemos a ideia de que temos uma vida propriamente nossa e realmente entender que Deus é a nossa vida, andaremos sobre as águas também.

No entanto, não estamos realmente pensando nesse ponto. Estamos pensando apenas neste outro ponto: na medida em que perdemos o medo deste mundo, na medida em que somos capazes de repetir as palavras do Mestre para Pilatos, quando podemos dizer ao nosso Pilatos particular – se é pecado, doença, falta, limitação, solidão – “Você não poderia ter nenhum poder contra mim, exceto se te foi dado do Alto ”, então nessa medida estamos desenvolvendo nosso senso de Cristo.

Cristo, sendo nossa própria consciência, nos aparece de forma tangível. Quando você voltar às Escrituras, verá que os corvos alimentaram o profeta Elias e que mais tarde a viúva o alimentou; você verá que Moisés tirou maná dos céus e água das rochas; você descobrirá que Jesus alimentou as multidões com alguns pães e peixes e ele disse a Pedro que encontraria seu dinheiro dos impostos na boca de um peixe. Quais são essas manifestações? Eles são a consciência de Cristo aparecendo na forma tangível. Eles são a própria consciência do Mestre que aparece externamente como forma, ou como a forma do momento, como aconteceu com o coronel Rickenbacker quando ele estava perdido no mar e “seu” Cristo apareceu como pássaros em sua cabeça, ou como peixes pulando de dentro do seu bote salva-vidas. Ele não pescava com linha e anzol, ele não tinha arma para atirar, mas o peixe veio até ele e os pássaros chegaram até ele. Por quê? Por causa de sua realização desta grande verdade. Ele percebeu essa grande verdade, que tudo o que precisava fazer era ficar parado e cruzar as mãos e saber que seu bem fluiria para ele.

Vindo de onde? Vindo dos céus? Vindo do ar?

Não. Vindo de sua consciência!

Veja bem, nosso bem vem das profundezas de nossa própria consciência. E se não temos profundidade em nossa própria consciência, ela não vem. Provavelmente muito disso fica longe de nós, porque não sabemos que isso vem das profundezas de nossa própria consciência. Estamos esperando que venha de fora, podemos até pensar que virá do praticante ou de nosso professor. Não, não é assim. Isso virá das profundezas de nossa própria consciência. Uma vez que compreendemos Deus como nossa consciência, podemos esperar que tudo flua para fora, qualquer coisa que precisamos no momento. Dessa consciência, vem nossa segurança e nossa segurança.

Vindo de nossa própria consciência, nos encontramos com Deus, no lugar secreto dos mais elevados. Nós achamos que a consciência vem como o Salmo 91º ou, vamos colocar de outra maneira: o Salmo 91º é nossa própria consciência: “Aquele que habita no lugar secreto do Altíssimo”; aquele que habita na Consciência Espiritual; aquele que habita na consciência de Cristo, do bem; aquele que habita na consciência da Verdade de que Pilatos não é um poder.

Lembre-se sempre de que quando você lê sobre poder espiritual, não está lendo sobre um poder que outra pessoa está gerando para protegê-lo. Você está lendo sobre um poder inerente à sua própria consciência, que como você o reconhece, surgirá como seu 91º Salmo e seu 23º Salmo. Nunca se esqueça disso. A única razão pela qual o mundo está com problemas é porque aceitou a crença de que Deus está lá em cima no céu. A única razão pela qual o mundo está com problemas é porque o mundo não aceitou o ensino do Mestre de que o Reino de Deus está dentro de você. Está procurando em todo o mundo o reino de Deus, mas “dentro de você”. Como eu disse antes, eles enviaram Bíblias com chapas de aço para os meninos na frente. Eles estavam procurando segurança nas placas de aço, não na Palavra; confiando em materiais e em poder material. A mesma força material e poder que você procura para salvá-lo um dia, você espera usar para destruir o outro homem no dia seguinte. Isso não vai funcionar. Se estamos buscando nossa segurança, proteção e nossa paz do mundo em qualquer documento humano, forma ou poder humano, estamos procurando por algo que até agora destruiu o mundo. E como podemos esperar que essa coisa salve o mundo?

Existe apenas um lugar de segurança, existe apenas um lugar de proteção, e esse é o Poder Espiritual. O Poder Espiritual é o poder da sua consciência individual, uma vez que você percebe que o pensamento humano, o planejamento humano, a conspiração humana, não é poder e que não pode ir além das mentes daqueles que o planejam e planejaram. Em outros mundos, o poder humano só pode se destruir.

Agora, vamos concordar com isso. Vamos concordar que em algum lugar do mundo deve haver aqueles que estão preparados para dar um passo mais alto em seu trabalho metafísico, um passo acima apenas usando-o para curar seu próprio corpo ou aumentar sua própria renda. Em algum lugar do mundo deve haver aqueles que estão dispostos a ouvir o Mestre quando ele diz: “Quem encontrar a sua vida a perderá; e quem perder a sua vida por minha causa, a encontrará”. Vamos entender que, se estamos apenas tentando preservar o que chamamos de senso humano de vida, estamos apenas preservando aquilo que acabará indo, não importa o quê. Não estamos nos preservando, estamos em conserva por um tempo, só isso! Não, há apenas um senso de preservação e esse é o que nos chega através da percepção de que a Vida é Deus, Deus é Vida – indestrutível, e que toda essa ignorância humana da Verdade não pode destruir o que é Deus.

À medida que nossos medos são apagados, à medida que nossa consciência se abre cada vez mais, o Cristo aparece. O Cristo é essa consciência espiritual que aparece como maná, que aparece como água que sai das rochas, que aparece como curadora das multidões, alimentando as multidões. Cristo aparecerá em qualquer forma necessária ao nosso desenvolvimento e demonstração; mas Cristo é a sua consciência e a minha consciência quando essa consciência desistiu de seu medo por si mesma e pelo mundo; quando desistiu da crença de que o pensamento humano tem poder; que ódio, inveja, ciúme, malícia podem produzir algo, até doenças ou guerra.

Que diferença faz se você credita à mente humana o efeito de uma doença em seu corpo, ou se acredita que a mente humana pode provocar uma guerra? É uma crença no poder da mente humana e a mente humana tem esse poder no mundo humano até que um com Deus apareça, até que apareça um na Verdade – e temos que ser esse um, nós do mundo metafísico.

Você sabia que apenas os metafísicos do mundo têm essa Verdade do TODO de Deus, a compreensão do nada do pecado, doença, morte, falta e limitação? Todo mundo no mundo se prepara para isso; todo mundo no mundo tem hinos e orações por isso. O metafísico sabe que não existe morte. (Oh, ele se engana de vez em quando dizendo: “Ah, você acabou de passar adiante”, o que distorce as palavras e isso é desqualificar uma revelação real.) Você sabia que a metafísica é uma revelação real? É a revelação de uma Presença Infinita e de um Poder Infinito; mas diz a você qual é essa Presença e qual é esse poder. É a sua consciência! Não está muito longe de Deus. É o Reino dentro de você. O Poder Espiritual é a Realização dessa Verdade. Você precisa se conscientizar dessa verdade para que ela funcione para você. Não é diferente da sua conta corrente. Sua conta corrente está morta; não pode se mover; não pode se escrever; não pode se gastar. A menos que você tenha uma consciência consciente dessa conta corrente – a quantia e seu propósito, poder e extensão – isso não lhe serve de nada. O dinheiro no seu bolso não serve para você, exceto na proporção da sua consciência disso, do seu valor e da sua presença.

O mesmo acontece com Deus. Deus é Onipresente e Deus é Onipotente. Deus é Todo Poder; Deus é Tudo em todos. Mas diga isso às pessoas nos hospitais e nos cemitérios e nos manicômios. Veja como esse conhecimento é bom para eles. O TODO de Deus se manifesta para nós apenas no grau de nossa consciência dessa verdade. É por isso que temos profissionais e trabalhadores no trabalho Metafísico.

Eles são as mesmas pessoas que você e eu, a única diferença é que eles obtiveram uma maior consciência do nada, do erro, e de Deus. Isso é tudo o que praticantes fazem. Apenas pense: se um praticante se assustasse com a dor de um paciente ou com a aparência de doença de algum paciente ou com a aparência de pecado de algum paciente, nunca haveria uma cura. É apenas na proporção em que o praticante não fica assustado – e como um praticante pode ajudar, mas fica assustado diante dessas coisas, exceto por seu conhecimento de que o que parece uma condição horrível é ilusão, não realidade, não poder, não causa e nem efeito?

Bem, temos que levar isso adiante para este mundo e para os problemas do mundo. Estamos lidando agora com o pensamento humano – pensamento humano vicioso, por um lado, e pensamento humano ignorante, por outro lado. Some tudo isso e ainda é o pensamento humano e, como pensamento humano, só tem poder para o mundo que aceita o pensamento humano como poder. Mas torna-se nulo e nulo quando se depara com A Verdade.

A Verdade da Ordem de Deus, da Ordem do Amor, da Ordem da Vida, da Ordem da Inteligência. E quando faz isso, está tocando o Cristo do seu ser. Então Cristo aparece como segurança, como proteção, como paz.

Talvez eu não tenha respondido ao meu próprio pensamento inicial: isso ou aquilo não resolve o destino do mundo? O tempo dirá isso. Uma coisa que sabemos. A aceitação, a realização desta Verdade em sua consciência funcionará como o Cristo de sua experiência, independentemente do que acontecer no mundo. Você será mantido livre de perigo, de discórdia, de destruição. E isso não é egoísta porque, ao fazer isso por si mesmo, pode ser que você esteja fazendo isso por um amigo ou parente. Ao fazer isso por um amigo ou parente, você não sabe até que ponto pode chegar e como pode chegar aos quadros de paz do mundo, aos quadros de políticas do mundo e resolver as questões dos assuntos que surgem em torno dessas mesas.

Isso sabemos, e isso também é Revelação. Se este mundo fosse destruído, se a humanidade fosse exterminada, se as civilizações fossem exterminadas, uma remanescente permaneceria. Esse remanescente seria o da consciência de Cristo; eles nunca serão destruídos. Os filhos de Deus nunca são destruídos, eles não podem ser. A consciência espiritual não pode ser atingida; a consciência espiritual não pode ser enterrada em uma tumba. Portanto, se você e eu – um, dois, uma dúzia, mil no mundo – tivermos desenvolvido algum grau de consciência espiritual, certamente seremos poupados da experiência de destruição e uma nova civilização poderá ser construída sobre a espiritualidade que permanece em nosso meio através do seu pensamento e o meu. Se somos capazes de prometer ou não que, pela devoção de nossa vida espiritual, podemos salvar o mundo, pelo menos podemos salvar a nós mesmos; e, fazendo isso, podemos salvar as bases da nova civilização. Até isso é algo para se trabalhar.

Deixe-me mostrar apenas mais uma coisa: a realidade nunca é destruída. Deus, a única vida do mundo, nunca será exterminada. E aquela vida que é sua vida individual e minha, e a vida de milhões. Nunca ouvimos falar, nunca será exterminado. Porque mesmo que a humanidade pareça ter sido exterminada, nenhuma alma individual morrerá. Nenhuma consciência individual morrerá. De fato, nunca houve uma morte desde o início da história registrada, uma vez que nunca houve apenas uma vida no Céu ou na Terra. E que a Vida é Deus. É indestrutível, se aparece como a sua vida ou a minha, ou se aparece como a vida de Jesus Cristo, ou a árvore lá fora. A vida é indestrutível porque a Vida é Deus e qualquer aparência em contrário é automaticamente eliminada como indivíduo aqui e ali, percebendo essa Verdade.

Provamos, não a imortalidade de Deus – não precisamos de nenhuma prova disso -, mas a imortalidade de sua vida e minha e de seu corpo e meu. Você deve se lembrar que quando Jesus Cristo saiu da tumba, ele saiu com seu próprio corpo, o mesmo corpo que havia sido crucificado. Nunca foi sepultado e nunca será, independentemente de qualquer aparência em contrário. Com Deus, alguém com essa verdade é uma presença salvadora.

Deus é a própria consciência do meu ser e do seu. E que Cristo aparece tangivelmente como qualquer forma necessária à nossa experiência – comida, vestuário, transporte, imortalidade, eternidade ou o que for necessário. Cristo aparece como essa forma. Lembrará-se disso, não vai? Cristo é sua própria consciência!

Joel – Capítulo 17 – DEUS, ONIPRESENTE E O ÚNICO PODER – Palestras de San Francisco – Livro: O Mundo é Novo

Autor: reggisbrother

Coach Místico. Não sou nada. Não busco nada de ninguém. Nunca serei nada e nem posso querer ser nada. Apenas compartilhando a Graça.

2 pensamentos

  1. Olá, obrigada por compartilhar os ensinamentos, é uma alegria para mim quando abro meu e-mail e vejo que tem postagem nova. Gostaria de te perguntar sobre uma parte dita pelo Joel, é o seguinte: “…cura de um resfriado, dor de cabeça, calo ou joanete, e fomos cada vez mais longe, até vermos cânceres curados, tuberculose curada, tumores curados, até ver seções inteiras de comunidades realmente curadas de todas as coisas (na epidemia de gripe espanhola vimos praticantes curar bairros inteiros, mesmo que as pessoas não fossem metafísicas)… . A pergunta é, existe hoje em dia praticantes que fazem o que era feito na época dele? Já procurei duas praticantes na Ciência Cristã e não obtive cura nenhuma. Desculpe perguntar desta maneira, sei que não é exatamente o praticante que cura, mas como ele citou “vimos praticantes curar bairros inteiros”, resolvi colocar desta maneira minha dúvida. Desde já lhe agradeço imensamente.
    Mona Lisa

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá Mona Lisa, gratidão por compartilhar sua experiência. Quanto a sua dúvida existem alguns pontos à observar.
      Sim, existem curadores da Ciência Cristã e praticantes do Caminho Infinito; O que no caso são duas coisas distintas. Em ambos você pode obter cura ou não. Depende de quanto a consciência do “curador”está imbuída com Verdade ou com a Presença. (pelos frutos os conhecereis). Ou ponto é a parte do paciente, se ele dá total permissão para que a Presença faça o trabalho e o quanto esse paciente está apegado ao ego e a matéria.
      Na época do Joel a influência do o ego e o materialismo nos pacientes eram menores e os estudantes eram mais sérios e dedicados. Contudo seu foco não deve ser em encontrar alguém capaz de “curar bairros inteiros”. Mas de curar a si mesmo. Você já encontrou ao ler ouvir qualquer coisa do Caminho Infinito, seu objetivo é agora se render, fique quieta. Deixe O Espírito de Deus entrar, pare de procurar e abra a porta.

      Agradecido,
      Que a Luz nos guie.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s