VIDA ESPIRITUAL

Cartas do Caminho Infinito – Setembro de 1957 –

Hoje começamos uma nova etapa em nossa experiência, uma época em que todos os dias enterramos alguma medida de nosso  estado-humano:

Vamos morrer todos os dias – alguns pedaços de nós vão morrer – porque vamos nos negar. Vamos negar a nós mesmos o bem material: não vamos mais buscar a Deus para satisfazer nossas necessidades.

Vamos buscar a Deus e ponto final.

Não vamos buscar a Deus para a demonstração de saúde, totalidade, harmonia, perfeição.

Vamos procurar a Demonstração de Deus e ponto final.

Não vamos buscar a realização de Deus para algum propósito.

Vamos buscar a Realização de Deus e ponto final.

No momento em que colocamos esse período após a palavra Deus, descobrimos que o milagre começa a acontecer. Toda vez que buscamos algo de Deus, estamos buscando um pouco mais de mortalidade – de morte. Mas agora toda vez que buscamos a Deus, estamos buscando a Vida Eterna.

Há uma diferença entre a vida humana e a Vida Espiritual. Um ser humano está sempre procurando uma pessoa, lugar, coisa, circunstância ou condição; e certamente, um ser humano está sempre buscando melhorias. Um ser humano está sempre buscando mais peixes ou peixes maiores em suas redes.

Deixe sua redes

O ser espiritual diz: “Deixe suas redes”.

“Se eu deixar minhas redes, como e no que colocarei meu peixe?”

“Quem disse que você vai precisar de peixe?”

“Mas esta é uma Vila de pescadores; vivemos de peixe – peixe e pão. ”

“Não, o homem vive não apenas de pão, nem de peixe, mas de toda palavra que procede da boca de Deus; então você não precisa de mais peixe ou um peixe maior. Você nem precisa de redes. Você não precisa de nenhuma rede no domínio espiritual.”

No reino espiritual, existe um modo de vida completamente diferente, um modo de vida representado por promessas como:

  • Os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem entraram no coração do homem, as coisas que Deus preparou para aqueles que o amam.
  • Confie no Senhor e faça o bem; assim habitarás na Terra e em verdade tu será alimentado.
  • Eu tenho alimento para comer que você não conhece.
  • Se alguém tem sede, venha a Mim e beba.
  • Paz Eu deixo com você, Minha Paz Eu vos dou.

O mundo nos dá saúde e riqueza, fama e fortuna, mas “Minha paz” não é do tipo que o mundo tem para dar. Jesus não nos disse qual era a natureza dessa paz, porque dizer isto a um ser humano seria absurdo. As coisas de Deus são tolices para o homem. Quando o homem não é mais homem, Deus revela o que Deus tem – um alimento que o mundo não conhece. Esse é um tipo diferente de alimento, um tipo diferente de vinho, um tipo diferente de água, um tipo diferente de pão. Como seres humanos, não podemos entender esse alimento, água ou pão; mas, como seres espirituais, sabemos o que é esse alimento espiritual. Não há necessidade de dizer à pessoa de consciência espiritual o que ela encontrará na Vida Espiritual: ele já conhece a natureza do Cristo em sua vida, mas o homem cujo fôlego está em suas narinas não consegue entender a Natureza da Vida Espiritual.

A pergunta é freqüentemente feita:

“O que você encontra para substituir das coisas que você desistiu? O que você encontra na vida espiritual? ”

Não temos como responder a essas perguntas porque as coisas de Deus são tolices para o homem. Na verdade, não desistimos de nada. É verdade que não temos mais a forma externa: a sombra foi substituída pela SUBSTÂNCIA e agora temos a Graça interior.

Na próxima vez em que você orar, observe e veja se a forma de sua oração ou meditação não mudou. Não importa o modo da forma  utilizada até hoje, ela deve mudar a partir de hoje por um único motivo: A partir de hoje, você não procurará mais o que procurava anteriormente. Até então, quando você fechava os olhos, havia em sua mente um desejo de saúde, harmonia, totalidade ou plenitude de alguma forma; havia uma busca por alguma forma material de bem, e assim a mente ficou ocupada tentando formular o tipo certo de oração ou tratamento. Mas agora não é importante encontrar um método de oração ou tratamento que lhe proporcione saúde ou suprimentos, companhia ou lar. Agora, a forma de oração ou tratamento deve ser aquela que levará à realização de Deus, à Realização da Presença Divina, à realização do Poder Divino, à realização da Graça Divina.

Observe a diferença quando fechar os olhos agora. Você descobrirá que a mente não será mais indisciplinada, depois de aprender a sentar-se e dizer: 

“Bem, pelo menos, não tenho nada pelo o que orar, nada para pedir a Deus. Não preciso de nenhuma forma de oração ou tratamento, porque não há nada que espero obter dessa oração ou tratamento. Eu posso me sentar aqui em paz porque não há nada que estou procurando, nada que estou desejando. Não estou fazendo isso por nada; Não estou procurando nada para mim, para meus pacientes, para meus alunos ou para minha família. Estou confiando no governo deste universo por Deus e não preciso dizer nada a Ele ou ter quaisquer pensamentos corretos. Eu nem preciso receber uma mensagem de Deus; Eu não preciso ter uma visão. Não há nada que eu queira, então apenas vou me sentar aqui e ficar em paz – descansar n’Ele e ficar quieto. ”

Quando você ora com esse entendimento, descobre que poderá sentar-se em meditação, sem uma palavra ou pensamento, e alcançar esse “clique”.

Não precisamos desejar nada. Não precisamos orar por nada; não precisamos procurar nada: não há pessoa, lugar, coisa, circunstância ou condição pela qual devemos orar. O que quer que exista, está sob a guarda de Deus e sendo assim está muito bem guardado. Estamos morrendo diariamente para nossa individualidade humana, e não adianta amontoar-se com mais coisas terrenas que apenas tornarão mais difícil a nossa “morte”. Tudo o que estamos fazendo agora é relaxar e, pela Graça Divina, nos encontraremos a cada minuto de cada hora de cada dia em posse de toda a sabedoria espiritual.

“Não por força, nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor”, não pelo nosso pensamento correto, nem pela nossa oração, nem pelo nosso pedido, “mas pelo meu Espírito, diz o Senhor.” E o que estamos fazendo quando fechamos os olhos e pedimos, procuramos e afirmamos? Estamos tentando acrescentar a nós mesmos condições humanamente boas. De agora em diante, não temos mais nada disso a procurar. A partir de agora, vamos a Deus por Graça Espiritual, por bênção, por benevolência, por Consciência Espiritual, por se regozijar no Espírito, pelas riquezas do Espírito, pelo Consolador Divino – O Cristo. É função do Cristo ser nosso fornecedor, e esse Cristo funciona em seu próprio nível.

Por que orar pelo tipo de pão que não precisamos, pelo alimento para a qual não temos utilidade?

Temos o Cristo, o Consolador, que veio a ser nosso alimento – não para nos dar alimento; mas ser o alimento, o vinho, a água, o pão, a ressurreição e a vida.

Queremos algo mais que o Cristo?

Queremos algo mais do que Graça?

Queremos algo mais do que Consciência Espiritual?

Ah, sim, é isso que fizemos – querer que o Cristo nos dê pão, sendo que o próprio Cristo é o Pão; orando ao Cristo para nos dar alimento, sendo que o próprio Cristo é o alimento. Cristo não envia alimento para um, vinho para outro e água para outra pessoa. A vinda de Cristo é o vinho e o alimento, a água e o pão. Está claro?

Não existe Demonstração disso e daquilo. Há apenas uma Demonstração – a Realização do Cristo. Então, quando chega a hora do alimento, existe alimento; quando chega a hora do leite, o leite aparece; quando chega a hora do vinho, o vinho está lá. Em todos os casos, Cristo é realizado como onipresente, e o Cristo realizado é nossa única necessidade.

Nunca mais devemos procurar pão, alimento, vinho, água ou verdade. Busque a realização do Cristo, e deixe que o Cristo seja para nós o que Sua função realmente é. Cristo é o Consolador: Devemos orar a Cristo pelo Consolador?

Cristo é o Consolador.

Não existe Cristo “e”; não existe algo como Deus “e”. Quando buscamos a Deus por alguma coisa, estamos construindo um universo falso, um que não existe. Quando buscamos saúde e suprimentos, procuramos errar. Cristo é a Saúde, o Suprimento, a Juventude, o Caminho, a Verdade e a Vida.

Não vamos limitar a capacidade de Deus de se revelar. A capacidade de Deus é infinita. Limitamos essa capacidade pelo nosso atual grau de receptividade, mas, na realidade, não há limite para a capacidade de Deus de se revelar. Todas as nossas orações devem ser agora para a realização de Cristo. Tendo Cristo, temos alimento, vinho, água, pão e vida eterna – o Caminho, a Verdade e a Vida.

Joel – Cartas do Caminho Infinito – Setembro de 1957



Categorias:Cartas do Caminho Infinito

Tags:, , ,

3 respostas

  1. Muito Obrigado
    🙏Aloha🙏

    Enviado do meu iPhone

    Curtir

Trackbacks

  1. VIDA ESPIRITUAL — CAMINHO INFINITO NA PRÁTICA – Tudo online empresa e loja virtual.
  2. A Contemplação desenvolve o Observador – CAMINHO INFINITO NA PRÁTICA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: