Se você tivesse um caso de anemia, você concentraria sua meditação na ideia?

Sr. Goldsmith, se você tivesse um caso de anemia, você concentraria sua meditação na ideia de que não há vida nisso?

Não.. não.. não. Veja, isso é se rebaixar ao nível da reivindicação. Não, não, eu não faria isso. Eu ficaria em dia com a Natureza do que Deus É:

“O que é Deus?” Você vê?

“O que é Deus?” Com esta afirmação, eu poderia, por exemplo, [fazer a declaração], “Não há lei da doença”. Posso fazer a declaração: “Não há falta ou limitação de nada”. Mas então eu esqueceria completamente e iria direto ao ponto principal, que é: “Qual é a natureza de Deus?”
Você deve se lembrar disso: do nosso ponto de vista, não somos médicos. Portanto, nunca estamos lidando com doenças específicas. Nunca estamos lidando com determinadas doenças. Nem estamos tentando trocar uma crença de saúde ruim por uma crença de boa saúde. O que estamos tentando fazer é reconhecer Deus. Então, nessa compreensão, não faz diferença qual é a natureza da reivindicação. Ele iria desaparecer.


Agora, deixe-me ilustrar isso para você. Suponha que uma ligação veio e o paciente não disse o nome da doença. Suponha que eles não soubessem o nome da doença. Suponhamos que eles tenham um diagnóstico e o médico tenha cometido um erro no nome da doença. De que adiantaria saber alguma coisa sobre anemia? Você entende o que quero dizer? No entanto, isso não impediria a cura, não é mesmo? Não. Então, vamos supor que ninguém saiba nada sobre a doença de qualquer maneira, e começar imediatamente com nosso tratamento:

“Qual é a natureza de Deus?”

À medida que insistimos nessa verdade da natureza de Deus, algo começa a se desenvolver dentro de nós que nos eleva, nos ajuda e nos leva a um estado de realização, e o paciente recebe sua cura, ao passo que se fizemos o contrário e mantivermos nosso tratamento a natureza da doença em si, tudo o que estamos fazendo então é tentar nos livrar de uma certa doença. Você também pode estar na matéria médica ou cura mental, que não tem nada a ver com cura espiritual.
Agora, outra coisa entra ali. Existe uma condição separada de Deus? Pois bem, seja o que for que essas pessoas estejam chamando de “anemia”, também deve fazer parte do ser de Deus. Não adianta negar que está lá. Não pode haver Deus, um Deus infinito, bom e uma doença, pode? Não. Tudo bem, então, seja o que for que alguém “esteja achando” como uma doença, não pode realmente ser uma doença, então não adianta tratá-lo como se fosse.

Você se lembra da ilustração em O Caminho Infinito da cobra e da corda?

Tudo bem, em vez de uma cobra, aqui nós temos um caule verde, e supondo que, pela minha má visão, pareça uma cobra. Bem, qual seria a utilidade de me preocupar com a cobra e saber a Verdade sobre a cobra ou negar algo sobre a cobra, quando a cobra nem mesmo entra em cena? O que eu teria que fazer seria começar a saber a verdade do que está lá, nada sobre o que não está lá.
Bem, anemia nunca está em qualquer lugar, não é? Então, de que adianta se preocupar com isso? Vamos descobrir o que está aí, ok? E uma coisa que sabemos está lá – a onipresença torna absolutamente certo que Deus está lá, e então nos concentramos nisso. Veja, é aí que o Caminho Infinito difere da maioria dos ensinamentos metafísicos sobre o Tratamento, pois nunca tocamos a pessoa, o nome da pessoa, a doença ou o nome da doença em nosso tratamento. Nosso tratamento começa com a palavra “Deus”, termina com a palavra “Deus” e permanece em “Deus”. Nunca leva o nome de um ser humano. Nunca leva em nome de sua doença. Nunca leva em conta a condição deles. Isto fica bem aqui sempre no reino de Deus. Você vê?

Pois bem, como ele [o paciente] tira o benefício disso? Eles se beneficiam disso por causa de seu contato, como a mulher que passou pela multidão e tocou a bainha do manto. Jesus não sabia que ela estava lá. E o servo do centurião? Ele não sabia que pediram ajuda para ele, mas ele teve o benefício da cura. Por quê? O servo do centurião estava na consciência do centurião, e o centurião se voltou à consciência do Mestre. Isso é tudo. Assim é.
Você traz seu gato, seu cachorro ou seu pássaro para mim. Eles não sabem que você está pedindo ajuda metafísica. Sabem!?? Você vê? Eles não sabem nada sobre isso, mas eles vão conseguir. Eles não só vão conseguir, mas aqui, você pode assistir. É a coisa mais maravilhosa do mundo de se assistir. Se você tem um animal de estimação em casa e me pede ajuda – nunca estive em sua casa e nunca vi esse animal de estimação – e eu ajudo, deixe-me entrar em sua casa e o animal está indo pular direto no meu ombro ou colo. Eles não vão me deixar. Eles vão continuar esfregando e esfregando e esfregando. Eles sabem que foram ajudados e sabem quem fez isso. Eles podem nunca ter me visto antes. Eu fiz isso acontecer agora – por vinte e tantos anos, tenho observado isso, experimentado. Não existe um gato, cachorro ou pássaro que não saiba quando recebe um tratamento, e eles sabem de quem vem, mesmo que nunca os tenham conhecido, então quando os encontram, eles correm dirija-se a eles e os cumprimente como um amigo perdido há muito tempo.

[Isso pode ser explicado] pelo mero fato de que estamos todos unidos. Existe apenas uma Consciência. Estamos todos unidos nessa Consciência, e a única coisa que impede os seres humanos de [perceberem] isso é sua mente racional. Se os seres humanos não dependessem tanto de sua mente racional, eles também teriam a mesma coisa [que os animais]. Em outras palavras, existem pessoas que estão suficientemente acima da mente racional para saber instantaneamente quando estão na presença da Consciência Espiritual. Outras pessoas não reconhecem mais um Jesus Cristo do que reconheceriam um vagabundo na rua. Você vê?

Isso é porque eles têm muito aqui [cabeça] e não o suficiente aqui [coração]. Mas as pessoas que são sensíveis, que são espiritualmente desenvolvidas – traga-as à presença de uma pessoa espiritualmente desenvolvida e não faria nenhuma diferença se elas estivessem em suas roupas de pesca. Elas seriam reconhecidos. Você vê?

E assim é.
Um animal não tem tanto aquela mente racional, aquela mente pensante consciente, e então eles são receptivos. É por isso que eles e as crianças são mais receptivos ao tratamento do que os adultos. Uma criança é muito simples de curar. Um animal também. Mas isso é porque eles estão mais nessa consciência pura do que na consciência humana.
Portanto, nosso tratamento permanece lá em Deus continuamente, e nunca, nunca toca o nome de uma pessoa, ou o nome de uma doença, ou qualquer um dos sintomas de uma doença. Nunca os leva em consideração.

Joel – [Trecho da gravação # 630, Classe especial de Kansas City de 1954, lado 2: “Perguntas e respostas”]



Categorias:Perguntas & Respostas

Tags:, , , ,

3 respostas

  1. Aloha,
    Muito Obrigado.
    Fez-se mais Luz no meu discernimento… Um Clarão de Luz…
    🙏Aloha 🙏

    Enviado do meu iPhone

    Curtir

  2. Gratidão por compartilhar irmão Reggis 🙏tenho uma gatinha que pulou em mim assim que termei de ler .ela está com problema de pelo,e ao ler a matéria meus pensamentos foram para ela….

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: