Desista de todas as tentativas de mudar a imagem humana

É assim que, quando nos sentamos para meditar a fim de ajudar os outros, uma de nossas primeiras realizações deve ser:

Eu não estou tentando transformar matéria doente em matéria saudável; Eu não estou tentando mudar uma pequena questão em uma muita questão (matéria); Eu não estou tentando fazer as pessoas infelizes ficarem felizes. Meu objetivo nesta meditação é perceber, contemplar e demonstrar o Cristo”.

Em outras palavras, nossa função é demonstrar o estado-Cristo; O estado-Cristo do seu ser e do meu. Quando chegarmos a esse estado de consciência, nunca tentaremos obter algo ou nos livrar de algo, atrair algo para nós ou forçar algo para longe de nós. Todo o nosso ministério será uma realização do Cristo.

Em sua verdadeira identidade, cada pessoa é o Cristo, a descendência de Deus; e  não existe nada que você ou eu possamos fazer para mudar esse ponto, e nada que possamos fazer para que isso aconteça. Já é verdade. Deus já é a vida do ser individual; Deus já é a alma e o espírito e a mente; Deus já é a integridade de todo indivíduo. Isso foi estabelecido no princípio antes de Abraão, mas não é manifesto – não é visível – até que haja um indivíduo que possa sentar-se no silêncio e realizar o Cristo, que é a verdadeira identidade espiritual do ser individual.

Foto por Pixabay em Pexels.com

No misticismo cristão, a palavra “Cristo” é entendida como significando aquilo que nós, na nossa verdadeira identidade, somos. Na verdade, não faria diferença se falássemos em revelar a natureza búdica de nós, porque isso significa exatamente a mesma coisa – o iluminado, ou o próprio Cristo. A terminologia não é importante.

O Cristo não é visível aos olhos, nem é audível aos ouvidos; o Cristo não pode ser tocado com os dedos, nem cheirado ou provado: O Cristo é realmente um estado de consciência divina que você e eu somos. É uma incorporeidade. Em nosso verdadeiro estado de ser, isso é o que realmente somos, embora isso não seja o que parecemos ser um para o outro. Olhando através dos olhos, vemos um conceito finito, limitado e material daquilo que realmente é.

Foto por Una Laurencic em Pexels.com

O campo da arte ilustra esse ponto. Para a pessoa sem um sentido artístico desenvolvido, as obras-primas da pintura não significam nada mais para ela do que um monte tinta colorida sobre tela, porque ele não tem uma compreensão da pintura. Da mesma forma, uma pessoa que não aprecia a música pode ter a seu dispor a mais gloriosa sinfonia ou ópera já composta por ela e, no entanto, implorar a alguém para desligá-la ou parar a música porque o som ofende seus ouvidos.

Assim é na área da vida espiritual e da cura espiritual. Com nosso limitado sentido finito, olhamos para a obra-prima de Deus – o ser individual. Você e eu somos a obra-prima de Deus, Sua própria descendência, Seu próprio Eu manifestado individualmente; mas, vendo aquela obra-prima sem apreensão e discernimento espiritual, julgamos que ela é inútil. Se você tem percepção espiritual, não faz diferença quem pede ajuda a você, seja alguém atolado no mais profundo pecado ou alguém preso por uma distorção física além da descrição. Observe a diferença na imagem que você vê quando se senta com os olhos fechados para todas as aparências nessa percepção:

Pai, não estou tentando mudar essa imagem; Eu não estou tentando mudar a condição ou a pessoa. Desperte-me deste sonho mesmérico, para que eu não julgue pelas aparências, mas veja essa pessoa como ela é, e ficarei satisfeito com essa semelhança, porque aqui está o Cristo, a descendência espiritual de Deus. Concede-me Tua graça para que eu possa vê-la como ela é em sua Divindade e contemplar esta situação como ela é. Revele-me o Cristo neste mesmo lugar onde parece haver um ser humano.

Enquanto você se senta naquele silêncio, “esperando” o Espírito de Deus tocar, iluminar e inspirar você; e por um breve e fugaz segundo, é quase como se você pudesse ver ou tocar a Realidade. Às vezes, neste momento profundo de realização, toda o ambiente é preenchido com o perfume das flores, embora possa não haver uma flor a quilômetros de distância de você. Esse senso de realidade pode vir como música, mas a música que não tem sons terrestres; pode vir como uma luz ou como uma respiração profunda. Que diferença faz como isto vem! O que vem a você é o próprio Espírito de Deus.

Seja qual for o caminho, se estiver claro para você que você não está buscando mudar um ser humano de ruim para bom, pobre para rico, desempregado para empregado, ou doente para bem, mas o que você está procurando ver é a Divindade e não a humanidade, então, mais cedo ou mais tarde, a grande experiência virá até você. Pode ser apenas por um momento, mas nesse instante momentâneo, seu paciente será melhorado, beneficiado, curado, empregado ou enriquecido – seja o que for que a situação possa exigir.

Joel – Cartas do Caminho Infinito – Outubro de 1959

Autor: CAMINHO INFINITO NA PRÁTICA - reggisbrother

Coach Místico. Não sou nada. Não busco nada de ninguém. Nunca serei nada e nem posso querer ser nada. Apenas compartilhando a Graça. Paz, fique calmo.

Nenhum pensamento

  1. é incrível como este ensinamento do Caminho Infinito me faz sentir como aquele trecho do Livro de mesmo nome quando diz, em resumo, “não me toques; ainda não ‘subi para o meu Pai’ – estou ainda entre dois mundos; não me toques nem me faça falar sobre isso, pois isso poderia me arrastar para trás”. É que a consciência já conseguiu compreender este ensinamento, mas na prática, ainda esbarro no muro do mesmerismo…. mas, Eu Já Sou !!!!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s