Por favor, explique a ilusão?

Resposta: Bem, acho que é simples. Qualquer pessoa que esteja no deserto e tenha visto água na estrada à sua frente, testemunhou uma ilusão, porque, examinando de perto, a água não está lá. Ou eles podem ter testemunhado uma cidade inteira a apenas alguns quilômetros à frente deles e, depois de viajar por esses poucos quilômetros, não há cidade lá. É uma imagem mental que você vê que não existe.
Se você não esteve no deserto, certamente já andou de trem ou bonde e viu as trilhas dos carros se juntarem à distância. Isso é ilusão, porque nada disso acontece. Ou, você olhou pela janela e viu o horizonte, o lugar onde o céu e a água se encontram. Isso é uma ilusão. Essa é uma ilusão tão forte que, até 1492, todas as pessoas foram enganadas – até as mais sábias. Mas não há lugar onde o céu e a água se encontrem à distância. Você pode viajar por todo o mundo e nunca alcançar o local onde o céu e a água se encontram. Isso é uma ilusão; essa é uma imagem em sua mente que você realmente vê, mas que não existe.
Agora, então, provavelmente estamos falando sobre a ilusão de doença, e aqui também, você tem uma imagem pensando em uma condição que não existe em nenhum lugar. Não existe em lugar algum. Hoje recebi uma carta de uma senhora que me escreveu há poucas semanas dizendo que seu neto tinha leucemia e foi abandonado pela medicina sem esperança de cura, e que eu ajudaria. E hoje tenho uma carta na minha mesa dizendo que os médicos declararam que essa criança estava curada – em apenas algumas semanas.
Agora, se havia uma condição presente como eles disseram estar presente, onde ela está agora? Se estava presente então e está curada agora, o que o curou? Não recebeu remédio. Não recebeu dieta. Não recebeu ajuda material de nenhum tipo. Agora o que curou? O que mudou a condição – a condição física corporal – de agora em diante? Nada. Nada. Ninguém tocou. Ninguém tocou. O MÉDICO DESISTIU!

Evidentemente, a condição não existia na mente ou no corpo dessa criança. Existia como um conceito ilusório e onde? Não na criança. Existia na mente humana – a mente humana universal – e essa criança acabou por ser vítima dessa imagem em particular. Outra criança foi vítima de um cenário da poliomielite; alguma outra criança foi vítima de um cenário de pneumonia, porque em nenhum caso as crianças foram responsáveis. Deve ter sido uma crença universal, e essa imagem existia na mente humana universal, a mente da crença, o segundo capítulo do Gênesis, e se retratava como um cenário na mente daquela família.
A condição não foi dissipada; a imagem foi dissipada. Como foi dissipado? Da mesma maneira que a imagem no deserto é dissipada – conhecendo a verdade. No momento em que você sabe que a água não existe no deserto, você liga o carro, passa por ele e descobre que não está lá. Foi o seu conhecimento que foi a ilusão que o dissipou. Se você não soubesse disso como ilusão, isso continuaria enganando você, e você ficaria lá por cem anos esperando a água secar, ou pelo menos teria que esperar até o anoitecer até a ação do sol diminuísse.

Agora, a ilusão de pecado, doença ou morte, e até a ilusão de saúde – saúde física e harmonia – são figuras na mente humana, na mente humana universal. Na prática metafísica comum, o objetivo do seu trabalho é trocar essas ilusões de pecado, doença e morte pela ilusão de saúde. E assim, quando o médico relata que o corpo está bem, você sorri e presta testemunho como se esse bem-estar fosse mais real do que a doença – como nosso filho. Essa condição de saúde é tão ilusória quanto a condição da doença.
Se estivéssemos trabalhando do ponto de vista de apenas “desvendar” a ilusão da doença, é provável que não tivéssemos sucesso. A razão pela qual o trabalho do Caminho Infinito foi tão bem-sucedido na cura é que não apenas “vemos” a ilusão de pecado, doença e morte, mas também a ilusão de saúde e riqueza físicas!

O que há de tão espiritual em um corpo fisicamente saudável quando, muitas vezes, cai morto amanhã ou sofre um acidente de automóvel e é morto? O que há de tão espiritual em ser um milionário quando no dia seguinte alguém pode ficar sem nada? Não há mais espiritualidade em milhões do que em centavos. Não existe mais espiritualidade em um coração perfeito do que em um coração doente, e se você quiser ver um trabalho de cura real, não fique muito feliz quando o médico disser que o coração está batendo normalmente e o pulso está normal. Ele quer dizer como isso que é normal para a sua idade, mas amanhã você estará um dia mais velho.
Recentemente conversei com um médico que sabia minha idade e ele perguntou se eu tinha feito um check-up recentemente – qualquer que seja o exame cardíaco

e eu disse: “Não”.

Ele disse: “Bem, você não acha que deveria?”

“Não, eu não.Por quê? Eles testemunham verdadeiramente? Você pode confiar neles?

“Bem, não totalmente”, disse ele.

“Um amigo meu recentemente teve um e no dia seguinte caiu morto na rua.” “Bem, então, para que me dizer o quão saudável eu sou?”Não, não, não faremos assim.

Agora, o ponto é o seguinte: doença, pecado, doença, morte, pobreza, desemprego – essas são as ilusões do sentido humano. O mesmo acontece com a saúde física e a riqueza física. A única realidade é a sua identidade espiritual, o seu estado Cristo que você não pode ver, ouvir, provar, tocar ou cheirar. Você só pode perceber isso em suas meditações internas quando sentir que sua vida não é sua.
Deus é a sua vida. É quando você está em terreno seguro, não quando acredita que é saudável. Não, você não está seguro então. Você não está seguro quando acredita que também é rico. Quando você começa a perceber, “Deus é a vida do meu ser”; quando você começa a perceber: “Deus é minha riqueza. A terra é do Senhor e a sua plenitude; quando você para de reivindicá-lo como sua posse; então você descobrirá que tudo o que o Pai tem é seu, seja de suprimento, seja de vida, seja de inteligência, seja de sabedoria ou seja o que for.

Nunca acredite por um minuto que você está seguro enquanto acredita que está vivo, ou enquanto acredita que tem vida ou enquanto acredita que tem saúde. Você não está nem um pouco seguro. Mas você está seguro quando começa a perceber:

“Deus é infinito. Portanto, Deus constitui meu ser. Deus é a minha vida; Deus é minha alma; Deus é meu espírito; Deus é meu esconderijo”.

Agora você sabe, já tivemos isso antes. Se você acha que tem um bom abrigo à prova de bombas no quintal, não dependa muito dele. Por uma questão de fato, seria muito melhor sair ao ar livre, bem no meio da blitz, e perceber: “Deus é meu esconderijo, meu lugar de descanso. Eu vivo, me movo e tenho meu ser em Deus; Nele, onde nada pode entrar para contaminar ou fazer mentira. ” Esconder-se em alguma estrutura material é como se esconder atrás de um coração que bate perfeitamente. É como se esconder atrás de uma boa conta bancária e, em seguida, o governo aparece e corta o chão debaixo de você. …
É o mesmo com o corpo. Nunca se sinta confiante porque tem certeza de que sua pressão arterial está normal ou seu coração está normal ou sua digestão está normal ou sua eliminação é normal. Isso é tudo bobagem, porque num piscar de olhos, um germe, uma bala, uma bomba, um acidente de automóvel pode perturbar tudo. Para estar seguro e ter realmente a garantia de sua saúde e suprimento, reconheça Deus como Ser infinito e reconheça “Deus é minha vida, e essa vida é eterna e imortal. Deus é minha força. Eu não posso ficar fraco se Deus é a minha força. ” Se eu acredito que a força está nos músculos – bem, você sabe a resposta para isso.
Então é. A ilusão diz que a saúde está no corpo. A ilusão nos mostra que a riqueza está no banco. Mas a realidade diz: “Eu sou o Senhor Deus Todo-Poderoso, e ao meu lado não há outro. Eu no meio de mim sou poderoso. Eu sou a vida do meu ser. Eu sou minha fortaleza, meu local de residência, minha torre alta – literalmente. Quer eu me sente aqui nesta sala, saia na rua ou me esconda em um abrigo de concreto, ainda tenho que perceber: “Deus é meu lugar de descanso. Eu moro no lugar secreto do Altíssimo. Eu não moro em um corpo de carne. Eu não moro em tantas batidas do coração por minuto. Eu não moro em um sistema digestivo bom ou ruim. Eu habito – vivo, me movo e tenho meu ser – em Deus, e Deus constitui a atividade do meu corpo. Deus constitui a atividade dos órgãos e funções do meu corpo. Deus é a única atividade, e enquanto Deus estiver ativo, os órgãos e funções terão que responder a essa atividade. ”
Ah sim! Não fique tentado apenas pela ilusão de doença. Não fique tentado apenas pela ilusão de saúde. Não fique tentado a levar em consideração o homem cuja respiração está nas narinas, pois mesmo quando ele é bom, saudável ou rico, ele ainda está sujeito às crenças ilusórias do homem nascido de mulher, cujo dia é curto. Agora, não somos “homens nascidos de mulher”. Nós estávamos – até morrermos para esse indivíduo e renascermos na percepção de que Eu Sou, e vivo, e me movo e tenho meu estar em Deus, por Deus. Eu e meu pai somos um. Tudo o que o Pai tem constitui o meu ser. “A terra é do Senhor e a sua plenitude”, e “Filho, tudo o que tenho é teu.”
Então, quando você está vivendo com a consciência de Deus, não está vivendo em um estado de confiança no corpo humano, apenas porque é indolor no momento. Você não está vivendo com a cabeça no chão, acreditando que é próspero porque hoje tem dólares, mas sem saber o que o amanhã pode ter na loja.

Mas quando você vive na realização – e oh, com que frequência eu falo isso – “Eu” – Eu, Eu, Eu, Eu, Eu – “Eu sou o pão, o vinho e a água”. Então posso me afastar de qualquer coisa de natureza física e ainda me encontrar – descansando, comendo e dormindo regularmente – porque Eu e o Pai somos um. Não sou dependente daquilo que é externo ao meu eu interior. Deus é minha individualidade; Deus constitui minha individualidade; e nessa individualidade existe a infinidade e a aliança do ser harmonioso.


Isso me deixa não apegado à saúde física, ou riqueza física, ou força física, ou bondade física. Isso me deixa desapegado e me permite viver bem aqui, na plenitude do meu próprio ser, que na semana passada chamamos de “auto-completude em Deus” – auto-completação em Deus. Eu sou auto-completo em Deus. Tudo o que o Pai tem é meu. Vivo, não em virtude de qualquer coisa na terra, mas em virtude da graça de Deus que está sempre comigo.


Agora, isso cobre essa questão em relação a uma aparência física. Isso leva toda a pergunta e responde a você. Quando você se preocupa com uma aparência física, mesmo que seja harmoniosa – e você deve se preocupar com ela, mesmo que harmoniosa – e você a traduz e começa a perceber: “Eu não estou vivendo em virtude de uma aparência física harmoniosa. Estou vivendo em virtude da Graça de Deus, o Espírito de Deus em mim, que é ‘mais perto de mim do que respirar, mais próximo do que mãos e pés.’ O Espírito do Senhor Deus Todo-Poderoso está sobre mim, e Ele me ordena viver para sempre, de forma harmoniosa, alegre, pacífica e próspera.”

Joel

(Trecho da gravação nº 213, 1958, Segunda aula fechada de Chicago, fita 3, lado 1, “Perguntas e respostas sobre a vida e a cura místicas”)

Autor: reggisbrother

Coach Místico. Não sou nada. Não busco nada de ninguém. Nunca serei nada e nem posso querer ser nada. Apenas compartilhando a Graça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s