A ORAÇÃO DO MISTICISMO

Cartas do Caminho Infinito – Setembro de 1957 –

Como muitas palavras, o termo “oração” não tem significado absoluto, por si só. A oração significa uma coisa para a criança que diz: “Agora me deito para dormir”; significa outra coisa para a pessoa que, sem pensar, recita a Oração do Senhor em um monótono sussurro: “Pai nosso que estás no céu santificado seja o teu nome” …. etcs ; e significa algo totalmente diferente para a pessoa que ora com reverência: “Pai nosso, que estás nos Céus, santificado, seja o teu Nome” . Esse é um sentido de oração tão diferente quanto o vigésimo terceiro Salmo: “O Senhor é meu pastor ”, uma oração que é um reconhecimento daquilo que Deus É, aquilo que Deus faz e aquilo que Deus quer dizer na vida individual. Ainda há outra oração a qual é a oração de gratidão: “Obrigado Pai”, que é um reconhecimento de que todo o bem existe “em”, “de”, “por” e “através” do Pai.

Que ninguém permaneça com um senso estático de oração. Ninguém no Caminho Infinito jamais diga: “Isso é oração, todavia isso não é oração”. O que podemos sentir é uma oração muito profunda hoje, o que pode parecer muito longe da oração daqui a um ano. Por outro lado, daqui a um ano poderemos saber algo completamente diferente sobre a oração do que sabemos hoje. Não existe uma forma correta de oração ou uma forma errada. Toda oração que já foi proferida é correta do ponto de vista da consciência que a expressa naquele momento. A forma de oração usada por uma pessoa um dia pode ser totalmente diferente da forma usada pela mesma pessoa outro dia. Isso não significa que toda a oração é eficaz, mas se a nossa oração é sincera, representa nosso senso correto a qualquer momento – ou a melhor que sabemos naquele momento.

A forma mais elevada de oração que foi revelada na literatura religiosa do mundo é aquela em que não há palavras nem pensamentos, uma forma de oração que é inteiramente uma atitude de escuta, uma escuta como se quisesse receber a palavra de Deus, que é rápida, nítida e poderosa. Deus É; perfeição, onipresença, onipotência – tudo isso já É; e, portanto, não há necessidade de orar a Deus por nada.

Na Totalidade e Unicidade de Deus, o que a oração se torna?

Como oramos sem rezar mal ou errado?

Aqueles de nós que estão engajados no trabalho de cura devemos perceber agora que não há Tratamento, e nunca houve uma oração ou um tratamento que nós ou qualquer outra pessoa possa dar que curaria qualquer coisa ou alguém. Existem certas formas de oração ou tratamento que podemos usar hoje para nos elevarmos a um estado de consciência de escuta, para nos tornarmos receptivos à palavra de Deus, mas é a PALAVRA de Deus que cura, reforma, melhora e fornece: Não é nenhum tipo de Tratamento que damos; não é nenhuma oração que expressamos. Por outro lado isso não significa que não daremos Tratamentos ou que não oraremos, nem que não pensaremos no assunto. Significa que reconheceremos quando estivermos tratando, orando ou pensando que o propósito do Tratamento e da oração não é influenciar Deus; e não é convencer Deus para fazer algo.

No momento em que vamos a Deus com alguma idéia de esperar que Deus faça algo por nós, estamos tentando influenciar Deus a sair de sua órbita. Ou seja, não estamos satisfeitos com o modo como Deus está funcionando; e, portanto, por meio de oração ou tratamento, estamos tentando mudar o que Deus é ou o que Deus está fazendo. Não há maneira melhor do que isso de perdermos toda a demonstração.

Os seres humanos certamente podem ser influenciados a agir de maneira diferente; certo é que eles podem influenciar um ao outro para melhorar seu modo de vida ou seu conceito do que é mais correto fazer; mas certamente ninguém poderia acreditar que Deus pode ser influenciado. Deus já é a inteligência infinita do universo:

Não vamos tentar dizer a essa inteligência infinita o que fazer ou quando fazer. Não vamos tentar dizer a Deus qual é a nossa necessidade, ou a necessidade de nosso próximo ou a necessidade de nossa família, porque, se tivermos sucesso, devemos provar apenas que Deus não é onisciente, que Deus não é a sabedoria onisciente do universo. Jesus ensinou que não devemos pensar no que comeremos, ou no que vamos beber, ou com o que devemos vestir, nem devemos nos voltar para Deus por essas coisas. Nosso Pai celestial sabe das coisas precisamos.

Se seguirmos de perto os ensinamentos do Mestre, descobriremos que em nenhum momento ele disse a Deus o que precisava; em nenhum momento ele orou a Deus para enviar o que ele precisava. Sua oração era a constatação de que o Pai celestial sabia que precisava dessas coisas e que era seu prazer dar-lhe o reino. Ele nos ensinou como poderíamos receber abundantemente comida, roupas e moradia quando ele disse:

Não penses na vossa vida, o que comereis; nem pelo corpo, o que vestireis. . . .

Por todas estas coisas as nações do mundo buscam: e vosso Pai sabe que necessitais dessas coisas.

Mas busque o Reino de Deus; e todas estas coisas serão adicionadas a você.

Não temas, pequeno rebanho; pois é um prazer de seu Pai dar-lhe o Reino de Deus.

Não temos nada o que fazer com orações por coisas. A única coisa que devemos fazer é buscar o Reino de Deus, a Realização de Deus. Essa é toda a nossa função na Vida Espiritual – nunca pedir nada a Deus, nunca tentar dizer ao Deus onisciente algo que acreditamos que Deus não conhece e, mais especialmente, não pedir a um Deus amoroso por aquilo que é do seu bel-prazer em nos dar. Quando oramos a Deus pelas coisas, estamos virtualmente dizendo:

“Agora, Deus, eu sei mais do que você sobre a minha vida, e não apenas isso, ainda quero que você seja mais amoroso do que é, porque neste momento você está retendo aquelas coisas que tenho certeza de que preciso; e agora estou insistindo para que você seja um pouco mais amoroso, atencioso e cuidadoso comigo e envie à Terra essas coisas das quais tenho certeza de que preciso, mas que você não sabe que eu preciso – ou, se precisar, você está parado aí, retendo-os de mim”.

Você captou isso!?

Joel – Cartas do Caminho Infinito – Setembro de 1957



Categorias:Cartas do Caminho Infinito

Tags:, , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: