Se Deus não tem nada a ver com doença, dor, velhice e morte, como você explica que tudo na natureza morre?

Pergunta: Você diz que Deus não tem nada a ver com doença, dor, velhice e morte … [Joel interrompe: “Primeiro, lembre-se de que não fui eu que disse isso. Foi a escritura que disse: ‘Deus é puro demais para contemplar a iniqüidade; Deus não tem prazer na sua morte, vire-se e viva. ‘” No entanto, tudo na natureza morre – flores, borboletas, árvores, tudo – e muitos animais só vivem comendo uns aos outros, causando medo, dor e morte.] .. Se Deus não criou a natureza e as quatro estações que trazem decadência e morte, então, por favor, qual é a resposta?

Resposta: Agora tente entender isso, porque isso é fundamental. Para começar, isso é uma distorção: “Tudo na natureza morre – flores, borboletas, árvores, tudo.” Definitivamente, isso não é verdade. Nenhum desses morre, e ninguém jamais os viu morrer ou testemunhou morte deles. Tudo o que você testemunhou foi a camada externa sendo descartada. Você nunca viu a vida morrendo ou desfalecendo, nem nunca testemunhou a morte de um indivíduo. Você apenas testemunhou a queda de uma concha, a retirada de um casco externo.
Agora, quando você olha para uma árvore, você não vê uma árvore. Você vê sua forma, e quantas vezes as folhas caem, ou o fruto ou as flores, a vida permanece. Da mesma forma, se você cortar esta mão e braço, eu permaneço; minha vida permanece. E se você cortar os braços e as pernas, eu ainda permaneço, e minha vida permanece. E se todo o resto de mim desapareceu, EU ainda permaneço.

Você deve se lembrar de que nunca me viu e eu nunca vi você. Tenho visto alguns de vocês em meu trabalho espiritual, mas apenas em momentos de realização espiritual – nunca olhando para a sua forma.
Agora que olho daqui, não consigo ver você. Posso ver seus corpos, mas não é você. Você olha para seus pés agora e se pergunta se esses pés são você. Olhe para seus membros até os joelhos e pergunte-se se é você. Olhe para si mesmo até a cintura e pergunte se é você, e vá até o pescoço e, em seguida, até o topo da sua cabeça, e pergunte-se: “Sou eu ou tudo isso é meu?”
E então você entenderá por que pode fechar os olhos e dizer a palavraeu.

“EU não estou neste corpo.”

EU. Eu estava me referindo a mãos e pés? Eu estava me referindo ao corpo? Claro que não! Eu estava me referindo a mim mesmo e EU não estou neste corpo. O corpo foi dissecado das unhas dos pés até o cabelo do topo da cabeça, mas ninguém jamais encontrou um homem ou mulher lá dentro. Eles nunca encontraram você lá dentro, e nunca vão, porque você não está lá. Seu corpo está dentro de sua consciência, ou você não estaria consciente disso.
Mas você não está em seu corpo. Caso contrário, você seria limitado; você seria finito; e, acima de tudo, você ficaria desconfortável. Você estaria comprimindo um ser infinito em um corpo finito, e isso não pode ser feito. EU não sou finito; EU não sou limitado; EU não ocupo tempo, espaço ou lugar, pois “Eu e meu Pai somos um” . Este não pode ser finitizado, limitado, restringido ou confinado na área de um corpo.

Então, quando você vê as flores caindo de seus arbustos e as folhas das árvores, você não está testemunhando a morte de nada. Você está testemunhando o lançamento de uma casca externa, um sobretudo, uma cobertura, tudo isso será renovado. E a razão pela qual ele será renovado é que a vida existe.
Então o Mestre disse: “Se você destruir este templo, eu o levantarei novamente em três dias.” Ele não disse: “Você estaria me arruinando”. Ele não disse: “Você me mataria se destruísse este templo”. Oh, não— “Se você destruir este corpo, eu o levantarei novamente em três dias.” E assim você pode jogar fora sua pele como os répteis fazem – na verdade como nós! Somos informados agora que nossos corpos são renovados a cada ano; que no final de um ano, não temos uma única gota de sangue em nosso sistema que estava lá no início do ano; que não temos um pedacinho de pele em nosso corpo que estava lá no início do ano. Em outras palavras, nossos corpos são renovados praticamente todos os anos – sangue novo, pele nova, cabelo novo, unhas novas – tudo é renovado a cada ano, mas “nós” continuamos.

Assim será, se você testemunhar o que é chamado de “passagem” ou “morte”, esteja certo de que tudo o que você está testemunhando é o descarte da casca externa, do sobretudo, do corpo, mas eu vou e eu levanto outro corpo muito, muito rapidamente. Na verdade, tão instantaneamente que – como já testemunhei muitas vezes – pouco menos de cinco minutos depois que uma pessoa sai de seu corpo, ela já está vestida em um novo corpo, instantaneamente. Eles nunca ficam por um segundo sem aquele novo corpo. Eu os testemunhei em seu próprio funeral em pé, sorrindo e com corpo, mesmo três dias depois de falecer.
Na verdade, eu nem mesmo contaria essa experiência se não conhecesse muitas outras pessoas que passaram pela mesma experiência. Portanto, não preciso temer que esteja ficando louco ou que você possa pensar que estou. Digo isso porque não conto todas as minhas experiências espirituais – nunca – e o motivo é que, se você mesmo não as teve, não tem como acreditar que elas poderiam acontecer, e mesmo se você acreditou não teria valor para você, porque não tinha acontecido com você. Mas, neste caso particular, posso mencioná-lo, porque muitos que foram curadores espirituais testemunharam exatamente o que eu testemunhei, e então eu sei que é uma ocorrência muito comum testemunhar isso. A própria experiência acontece com todos os que morrem. Instantaneamente, dentro de alguns momentos, eles estão acordados e em seu novo corpo.
Portanto, nunca acredite que a provisão foi feita na natureza para que algo morra, pois isso não acontece. Mas deve haver uma renovação da forma que foi prevista – que sejamos renovados; que não vivemos do maná de ontem; que não nos apegamos às formas de bem de ontem; que devemos estar dispostos a ver nossa infância, e nossos corpos infantis passarem de nós, para que possamos ter corpos de crianças. Devemos estar dispostos a que os corpos das crianças desapareçam de nós, para que possamos ter corpos adultos, corpos maduros. Devemos estar dispostos a que isso passe de nós para que possamos ter uma forma superior de maturidade.
Em outras palavras, lembre-se de que há um momento da vida, quando entramos na idade adulta, em que uma nova função ocorre em nossa vida, e essa função é a paternidade ou a possibilidade ou potencialidade dela. Mas lembre-se de que está previsto que outro período entre em nossa experiência quando essa possibilidade e potencialidade nos forem tiradas. Porque? Não é mais necessário, porque agora estamos entrando em uma expressão superior de vida, quando não é tão importante ceder às sensações físicas, ou formar novas famílias. Tendo superado esse estágio, podemos agora dar toda a nossa atenção ao nosso desenvolvimento espiritual. Todos devem reconhecer isso. Todos devem reconhecer que há provisões para mudanças, mas não para a morte. E então, quando você testemunha o que mundo chama de “passagem” na natureza ou com os indivíduos, lembre-se de que não é assim. É apenas a forma, a casca, a pele externa, que está sendo posta de lado para que uma nova forma possa se desenvolver.

Joel

Perguntas e Respostas – Trecho da Gravação nº 275, 1959 Aula Fechada em Londres, Lado 1: “The Nature of the Spiritual Universe”.

Processando
Sucesso você está na lista


Categorias:Perguntas & Respostas

Tags:, , , , ,

3 respostas

  1. Incrivelmente paradisíaco e REAL!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Gratidão 💕

    Curtido por 1 pessoa

  3. 🌹AloHa🌹

    Enviado do meu iPhone

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: