A TOTALIDADE DE DEUS

O primeiro propósito de nosso trabalho é o de dar à luz nossa verdadeira identidade como Espírito, como Deus manifestado, como vida, individualmente expressa em tudo na harmonia e perfeição da vida. Nós, em nosso trabalho, não tentamos apenas transformar pessoas doentes em pessoas saudáveis, ou pessoas pobres em pessoas ricas. Nosso principal objetivo não é melhorar o aspecto humano. A frutificação do nosso trabalho é a saúde e a provisão melhoradas; mas a melhoria das condições materiais não é o seu objetivo principal. Estes são só “os sinais que se seguem”.

O objetivo fundamental é revelar Deus como ser individual, revelar que não há Deus e o homem, mas que há só Deus, Deus manifestando-se individualmente como você e como eu para revelar que “Eu e o Pai somos um”. Não existe Deus e você; mas, já que Deus é infinito, já que Deus é tudo, então Deus deve Se expressar, Se manifestar como você e como eu.

Nessa Unidade, não há nenhum lugar para o pecado, a doença, a falta ou a limitação. Não há nenhum lugar para a guerra ou para a competição injusta. Não há nenhum lugar para os males do capitalismo ou para os males do comunismo. Só há lugar para o entendimento do ser verdadeiro – o entendimento do que significa ser Deus manifestado individualmente, em toda glória de Deus. Você se lembrará da oração do Mestre: “Pai, glorifica-me junto a ti, concedendo a glória que tive contigo.” Pense o que significaria se pudéssemos nos mostrar aqui e agora em toda a glória de Deus. Pense como seria impossível precisar de algo, se estivéssemos manifestando a totalidade de Deus, se estivéssemos manifestando a verdade dessa afirmação: “Filho… todos os meus bens são teus.” De acordo com a Bíblia, é verdade que tudo o que o Pai tem é seu e meu. Uma vez que você e eu começamos a manifestar essa totalidade de Deus, será impossível que qualquer forma de inveja, de ciúmes, de despeito ou de briga entre em nossa experiência diária. E este é o objetivo deste trabalho. O Caminho Infinito não existe simplesmente com o propósito de construir seres humanos melhores, mas de revelar a totalidade de Deus individualmente, como você e eu.

Em todas as religiões, há promessas de Onipresença. Temos de ir um passo além, temos de demonstrar a Onipresença. Para nós, a presença de Deus deve se tornar uma realidade viva – Deus deve se tornar tão real para você e para mim como somos reais um para o outro. Deve ser, basicamente, tão possível para você sintonizar-se com Deus como o é para você sintonizar-se com seu prático ao telefone. Deus, através deste estudo, através da meditação e através da inspiração, deve tornar-se não uma palavra que pronunciamos, não um ser a quem rezamos, mas um companheiro real em nosso caminho, pela vida.

O objetivo deste trabalho é tornar Deus real, tornar Deus tão real para você e para mim como ele o foi para Abraão, para Jacó, para Moisés, para Elisha, para Elias, para Jesus, para João, para Paulo ou para Pedro. Deus se torna uma realidade absoluta e viva – uma presença, um poder, um companheiro, o que cura e supre. Não encontramos Deus em livros, não o encontraremos em igrejas. 

Livros e igrejas são simplesmente vias de acesso que possibilitam a abertura de nossa consciência ao influxo. Deus, basicamente, será revelado onde Jesus disse que Ele seria revelado – no íntimo: “o reino de Deus está no meio de vós… Eu nada posso fazer por mim mesmo… “o Pai, que habita em mim, é quem realiza as obras.” Onde está o Pai? Dentro de mim. É evidente que isso não significa dentro deste corpo. Deus não está em nosso corpo físico; Deus está dentro de nós no sentido de que Deus é o nosso verdadeiro ser. Deus não está separado ou à parte de você ou de mim. Neste caso, a palavra “dentro” não significa realmente dentro de alguma parte do corpo, como o cérebro ou o coração: significa que Deus não é algo externo, separado ou à parte de nosso ser. Deus não está separado, nem é algo à parte de nossa consciência. E em breve, veremos muito claramente que Deus é a nossa consciência. 

O Homem não é um Reflexo

A maioria dos ensinamentos metafísicos nos chamaria de "homens". Seus sinônimos para a palavra "homem" incluem ideia, imagem, semelhança, reflexo, expressão. Quase todos eles ensinam que você é uma idéia de Deus, mas o ensinamento do Caminho Infinito não concorda com esse conceito. Este ensinamento está na plenitude da manifestação do Mestre, na plenitude da sua percepção, que, em seu aspecto humano, ele por si mesmo não poderia fazer:

"Eu sou o caminho, a verdade e a vida."
 "Eu nada posso fazer por mim mesmo."
"O Pai, que habita em mim, é que realiza as obras."
 "Filipe, há tanto tempo que estou convosco e não me conheceis?" 
"Eu e o Pai somos um."
Você já viu o um? Segure um de seus dedos – apenas um dedo, e não dois. Pense nesse dedo como o símbolo da unidade expressa por “Eu e o Pai somos um”.

Lembre-se sempre: Eu e o Pai somos um. A menos que você possa concordar com este ensinamento de unidade, a menos que possa entender e sentir sua exatidão, você nunca será capaz de dar o próximo passo e de perceber que tudo o que é Deus eu sou; tudo o que o Pai tem é meu. Agora, segure dois de seus dedos e note que não importa quão próximos você possa colocá-los, você não tem um ou a Unidade. Você ainda tem dualidade. Enquanto você tiver dois, você estará lutando para uni-los ou esperando que um deles reze para o outro ou que um deles seja digno do outro. Mas, se você puder concordar que eu e o Pai somos um, da mesma forma que um dedo é um, então descobrirá que tudo o que o Pai é eu sou e que tudo o que o Pai tem é meu; você entenderá que, quando reza, acreditando que já tem, você já tem. Os dois dedos representam Deus ‘e‘ você. Um dedo é o nosso símbolo – Deus manifestado como você. É a palavra transformada em carne não a Palavra e a carne, mas a Palavra feita carne.

A base de nosso trabalho é a Unidade, a Onipresença. Não se trata de uma coisa presente junto com outra coisa. É a Onipresença – “Eu e o Pai somos um”. Nesta unidade está a sua perfeição. Nesta unidade Deus está manifestando a sua individualidade e a minha em toda a Sua glória. “Glorifica-me com a tua glória.” O primeiro conceito importante que deve ser mudado, ao passarmos de qualquer ensinamento metafísico para o Caminho Infinito é que você não é uma idéia, você não é um reflexo. Olhe para um reflexo de você mesmo na parede e pergunte como você gostaria de estar nesse reflexo.

Não somos reflexos, não somos ideias; você e eu somos a vida eterna. Se não fossemos a vida eterna, haveria uma lei, um Deus, alguma coisa agindo sobre nós; ao passo que Eu sou o caminho, Eu sou a lei. Concederam-me o poder absoluto sobre as coisas do mar, sobre as coisas da Terra, sobre as coisas do ar e sobre as coisas do céu. Nesta unidade está o poder absoluto, o poder absoluto manifestado como você e eu individuais.

Você deveria estudar isso com muito cuidado, voltando-se interiormente para o Pai e rezando por luz e orientação neste ponto, porque nesta revelação está toda a demonstração da harmonia.

No momento em que você acreditar que há um outro poder (algum poder fora de você, separado de você), que possa agir sobre você, mesmo se você acreditar que é um poder bom, você está se expondo à possibilidade do oposto, a um poder mau. Não há nenhum poder agindo sobre você. A Vida, Deus ou a Alma é o único poder: Deus, a Alma, o Espírito e a Verdade são a realidade do seu ser. Se existe apenas uma Vida e esta Vida é a sua vida, então, Deus é sua vida. Se existe apenas uma Mente, então, Deus é a sua mente. Deus é a sua Alma. Deus é o seu Espírito. Contam-nos que mesmo o “vosso corpo é templo do Espírito Santo”.  O que mais há para você, a não ser a vida, a mente, a alma, o Espírito e o corpo? E tudo isso é Deus Deus infinitamente manifestado em toda Sua glória, como você e como eu.

A história do mundo e, certamente, a história do mundo religioso contradiz esse ensinamento. Mas a história tem muito pouca prova de harmonia para nos oferecer.

Nós só temos que olhar para a história do mundo para encontrar um registro contínuo da crença de que somos algo separado e à parte de Deus. Por toda parte há guerras e outras condições caóticas. Se há alguma esperança para nós como indivíduos, esta terá de ser encontrada na mensagem e na missão do Mestre e essa mensagem e essa missão sem mal-entendidos.

A Palavra mesmo deve bastar. Devemos aceitar como nosso princípio as palavras do Mestre, não como um ensinamento que se aplica a um indivíduo de dois mil anos atrás, mas como um Princípio de vida que podemos seguir. Neste ponto da unicidade, da união consciente com Deus, está a base de tudo o mais que está para vir.

Joel – As Palavras do Mestre – Capitulo 11


Categorias:Estudantes do Caminho Infinito

Tags:, ,

1 resposta

  1. Alvo alcançado! Desconheço maior dádiva do q viver consciente q não há dois. Mas APENAS UM. DEUS sendo EU MESMO, e TODOS e TUDO! Chegar na experiência dessa verdade onisciente te faz desfrutar da totalidade da PRESENÇA.
    SENDO a vivenda q És da Onipresença da ONIPOTÊNCIA. SOBERANIA do EU SOU! AGRADECIDA no ETERNO pela #LUCIDEZ SAGRADA emanada do CAMINHO #INFINITO bem aplainado . ALOHANDO!….

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: