FAZENDO A JORNADA DE RETORNO

Nas Escrituras, esta vida que acabei de descrever (no artigo anterior) é denominada experiência pródiga. Nascemos em um país distante, longe da casa de nosso Pai, completamente inconscientes de nossa verdadeira identidade, e com um eu pessoal: devo cuidar de mim mesmo; Devo me proteger; Eu devo me sustentar; Eu, eu, eu, eu, eu, como se realmente houvesse um separado e à parte do Grande / que Eu sou. Então aqui está este pequeno eu em um carrossel, viajando rápido e indo a lugar nenhum, e eventualmente percebendo a insatisfação dessa condição.

Milhões de pessoas passam por uma vida inteira chutando contra esse tipo de vida e não fazendo nada sobre isso, eventualmente passando adiante e tendo que voltar e passar pelo mesmo desfile novamente. Eles nem sequer sabem que são herdeiros, mas tendo ouvido falar de Deus, a palavra começa a se infiltrar em seus pensamentos, e a maioria deles chega ao lugar onde eles dizem: “Agora, espere um minuto, espere um minuto! Você fala sobre um Deus, mas certamente qualquer deus que valha a pena o nome de Deus não poderia ser responsável pelo caos na Terra. Qualquer Deus digno do nome de Deus não poderia tolerar possivelmente meu estado nesta condição.”

Então eles começam a confundir a palavra “Deus ”. Se eles se permitirem confundir isso por pouco tempo, um milagre se instala, e eles estão em busca de Deus.
O ser humano tem esse Ser divino escondido dentro da consciência, tão profundo que não há consciência de estar ali. Mas alguém recebe uma iluminação que reconhece que por baixo desses trajes e vestidos há o corpo de Deus, aquele corpo-espírito original. Impossível! impossível! Nós olhamos no espelho e não está lá. Procuramos, mas não podemos encontrá-lo porque nunca se revelará a nós através de nossa visão. Somente o discernimento espiritual nos dirá que por baixo dessas roupas há um templo feito “por” e “de” Deus. O Princípio Criativo, Deus, formou e criou a Substância de Si mesmo.

Como o nosso espelho não conta nenhuma história como essa para nós, a questão é: Como é que vamos entrar no conhecimento e demonstração do nosso verdadeiro ser e corpo?

Como poderemos penetrar abaixo da superfície para ver algo mais do que os olhos veem e ouvir algo mais do que os ouvidos ouvem?

A pessoa que captou esse vislumbre espiritual teve uma visão transcendental dentro de si. Foi uma visão interior ou um vislumbre interior da realidade que lhe permitiu ver que não somos mortais, que não temos corpos de carne e sangue: somos imortais e o corpo é o templo de Deus.

Para todos os cinco sentidos, somos mortais, nascemos, envelhecemos, morremos. Temos vidas limitadas, mentalidades limitadas, força limitada. Mas a este sentido limitado, alguns homens e mulheres de intuição e visão dizem: “Não, não! Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e Deus habita em vós? Não sabeis que sois a imagem e semelhança de Deus. “Vocês são espirituais! Vocês são da substância de Deus”.

Nós, em nosso embotamento, voltamos àquele espelho novamente e dizemos: “Não pode ser; isso é apenas carne humana, herdeira de todos os males e acidentes do mundo”.

Mas, novamente, esses grandes homens e mulheres espirituais de todas as idades continuam dizendo: “Não acredite no que você vê ou ouve. Deus, a verdade, não está na aparência. Deus está na ‘pequena voz calma e delicada’.”

grayscale photo of man walking in hole
Foto por Kasuma em Pexels.com

“Fomos informados sobre nossa verdadeira identidade, nossa verdadeira individualidade, mas só a ouvimos com a audição dos ouvidos. Ainda não a discernimos, nem abrimos o que está bloqueando a entrada do nosso Ser. Enquanto isso, pessoa está andando por aí, trabalhando duro para ganhar a vida, lutando contra o pecado e a doença, seu verdadeiro Eu livre e independente, a individualização de tudo o que Deus é, está escondido dentro de sua consciência, provavelmente enrolado como uma bola. Chame de cebola. Eles descobriram que esse processo de conhecer a verdade, de procurar por Deus, é como tirar a casca da cebola, uma casca de cebola de cada vez. Não parece necessário fazer muito para chegar ao centro, no entanto, algo aconteceu, mesmo com a remoção de uma camada de casca de cebola.

À medida que absorvemos a verdade através do conhecimento e da devoção à verdade e através da meditação, camada após camada do falso eu exterior desaparece. Quando terminamos de remover cada casca da cebola, não temos mais nada. Nós temos aquele Nada que é Tudo, nada que é espiritual, que nada é a essência da vida. As escrituras nos lembram: “Ele … sustenta a terra sobre o nada”. Esse é o mesmo Nada que encontramos no centro da cebola, e esse é o mesmo Nada que encontramos quando cada pedaço de nossa humanidade é tirado de nós. Quando nos despojamos completamente de nós mesmos, não há mais nada e que nada é o Eu que somos.

Joel Goldsmith

Capítulo 11 – A INDIVIDUALIDADE REVELADA ATRAVÉS DA ORAÇÃO – FAZENDO A JORNDA DE RETORNO – DO LIVRO: A ALTITUDE DA ORAÇÃO

Autor: CAMINHO INFINITO NA PRÁTICA - reggisbrother

Coach Místico. Não sou nada. Não busco nada de ninguém. Nunca serei nada e nem posso querer ser nada. Apenas compartilhando a Graça. Paz, fique calmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s