Desdobramento da Consciência – Capítulo 2

Está é uma continuação da Palestra  anterior (capítulo 1), uma continuidade do desdobramento da consciência. Estamos tomando de onde paramos e, por uma questão de fato, levando em frente conforme vamos seguindo pelo resto da semana.

Quando João estava na prisão, ele mandou uma mensagem para Jesus: “És tu aquele que deveria vir? És o prometido Messias?” E Jesus não disse a ele que tinha sido autorizado ou ordenado, ou que tenha recebido licença para ser rabino. Ele disse: “Vá e mostre João as coisas que você viu, que os doentes são curados”. Autoridade para o trabalho que estamos fazendo é o seu resultado, e esse resultado deve ser cura, a cura dos problemas da existência do ser humano! O Trabalho de Cura através do Espírito nunca é a cura de um corpo; nunca a cura de uma condição física. Esse é o resultado, mas não é o Trabalho.

O Trabalho é a espiritualização da consciência. O trabalho está espiritualizando a consciência, o pensamento espiritualizador, abrindo a consciência para a receptividade à Deus. Esse é o Trabalho na Cura.

Visto que, na Presença de Deus não há problemas, e assim quando você está firme, na Verdade, sustentado na consciente consciência da Presença de Deus, você não tem pecados ou doenças para superar. De todas as declarações de Jesus, uma das maiores é: “Buscai primeiro o reino de Deus . . . e todas essas outras coisas serão adicionadas a você.” Agora o Reino de Deus, o Reino de Deus, é Consciência.

A atmosfera espiritual de Deus é o Reino e quando você está na atmosfera espiritual de Deus, todas as harmonias deste mundo, do Céu e da Terra, são adicionados a você.

O assunto do Trabalho de Cura é muito interessante e existem muitas abordagens para esta Prática, mas só posso falar do que foi revelado a mim. O Trabalho de Cura é realizado inteiramente através do silêncio!

Praticando O Silêncio

Os Tratamentos, assim chamados, da explicação oral ou a palavra escrita, são apenas pequenas escadas que usamos a fim de subir até o ponto do silêncio.

Às vezes são necessárias, e a maioria das vezes elas não são. Depois de um deles ficar neste trabalho por algum tempo, neste estudo e prática, é quase desnecessário usar argumentos mentais para a Cura. Isto é possível apenas fechando os olhos e rapidamente entrar em uma atmosfera de silêncio e assistir o Trabalho de Cura assumindo a situação. Então, mais tarde, é possível manter esse silêncio conscientemente mesmo enquanto se faz as coisas comuns da vida: dirigir um carro, escrever, ler, arrumar da casa ou jardim.

É possível, então, manter essa atmosfera espiritual, independentemente do que está aparentemente sendo feito com o nosso corpo ou nossa mente; O Trabalho de Cura ocorre  quando ou não estamos realmente envolvidos no Trabalho de trazê-lo para o exterior. Imagine a atmosfera do pensamento de Jesus quando a mulher empurrou a multidão. Ele não sabia que ela estava lá buscando uma cura. Ele se virou e ela tinha sido curada. Era ela entrando na atmosfera daquela consciência e fazendo isto com fé, que curou ela, um fato que nos traz um pensamento muito importante aqui é:

Qual é o dever do paciente em parte no sentido de uma cura?

Na minha escrita, deixei bem claro que 90% da responsabilidade pela cura está nos ombros do Praticante, e eu realmente acredito que seja assim. O Praticante deve assumir a responsabilidade pelo Trabalho de Cura, não que qualquer Praticante possa garantir os 100% de Cura; mas a real responsabilidade pelo Trabalho de Cura repousa com o Praticante. A razão é esta:

A Cura é realizada através de um Estado Espiritual de Consciência!

E os Praticantes que vivem, trabalham e tem o seu ser naquela atmosfera espiritual farão um belo Trabalho de Cura e eles farão isso em proporção ao grau em que eles vivem nesta atmosfera Espiritual. É verdade que você pode fazer o Trabalho de Cura mesmo participando do senso comum de vida dos seres humanos, mas fazer Obras realmente ótimas torna-se necessário sair e estar à parte. Torna-se necessário: “saia e viva no plano superior”.

Mais uma vez, você pode desfrutar de um filme, uma boa música, de uma vida familiar e social, mas não significa que isto está nessa Existência Espiritual, as coisas do reino humano têm pouco ou nenhum espaço. Existem coisas maravilhosamente adoráveis nesta vida humana: família, amigos, música, arte, literatura. Pode-se encontrar a oportunidade para desfrutar destes sem ficar descendo para o nível da grande parte dos prazeres e dores do mundo.

E assim, o Praticante que vive no maior grau de consciência espiritual vai proporcionar um maior sentido de atmosfera espiritual e fazer o melhor Trabalho de Cura. E esta atmosfera não tem relacionamento como um tudo no sentido de santificar. Isto não significa que a todo custo. De fato, muitas vezes quando esse tipo de atitude está presente, podemos questionar quanta espiritualidade existe, porque a verdadeira espiritualidade é humilde. A verdadeira espiritualidade faz você perceber que nós estamos todos como Um sob a mesma pele, seja um mestre de dois mil anos atrás, um rabino antigo, ou um sacerdote de hoje. Todos Um sob a mesma pele! Além disso, espiritualidade não tem nada a ver com muito aprendizado de religião. A verdadeira espiritualidade tem que haver principalmente com o grau em que um indivíduo percebeu o nada do mal e a Presença do Cristo.

Nós tomamos como nosso tema a declaração de Paulo: “eu vivo, mas não eu, o Cristo vive em mim.” E a declaração de Jesus: “eu de mim mesmo não posso fazer nada, o Pai interior, Ele faz as obras.” Então, nessa atmosfera, em que a Realização desta Presença interior, esse Poder Interior, é o início da Espiritualidade. E quando isso vem, traz consigo o outro lado da mesma moeda – a percepção de que a aparência como pecado ou doença não é poder. Isto é realmente apenas a crença universal de um individualidade separada de Deus. É realmente só nas crenças humanas acumuladas em termos de matéria da medicina e mundo teológico.

Todos estes, juntos, formam uma influência mental tão forte que se torna quase mesmérica e, em seguida, vemos os trilhos de bonde se unindo à distância e acreditamos  que isso é assim. Nós vemos o céu tocando a montanha e acreditamos que isso é assim. Vemos uma cobra onde é realmente uma corda, e nos perguntamos que tipo de milagre, realizado no Tratamento transformará a cobra em uma corda. Nenhum dos nossos Tratamentos nunca mudará os trilhos do bonde, o céu sentado na montanha, ou a corda que parece uma cobra. Nosso Tratamento é apenas a percepção de que os trilhos já são normais e harmoniosos; que o céu nunca se assentou na montanha; que a corda nunca foi nada além de uma corda. Então, essa Realização de o nada do erro é a segunda parte da revelação que compreende a Consciência Espiritual. Quando não há mais ódio ou erro de medo em qualquer forma, quando não amamos mais, então nós descobriremos que alcançamos pelo menos uma medida grande o suficiente  de Consciência Espiritual para começar Trabalhos de Cura.

Agora de volta para o papel do paciente neste Trabalho: Primeiro de tudo, os pacientes dificultam muito o processo quando persistem em permanecer no mesmo estado de espírito que eles mantém quando vão a um médico, onde eles reconhecem uma doença física como sendo sua reivindicação e esperam alguma parte de cura ou remoção. Na aproximação de um Praticante para a cura, isso não deveria ser assim. A atitude mais útil é a seguinte: “Mostre-me como encontro o Cristo. Sei que tudo que é pecado, discórdia ou doença podem estar presentes no meu pensamento, dentro ou no meu corpo, representam apenas esse grau de ausência da consciência de Deus.”

Foto por Suliman Sallehi em Pexels.com

E assim a atitude do paciente não deve ser para descrever todos os sintomas, mas sim abrir sua própria consciência para a receptividade da Verdade, da Presença de Deus. “Vivo, mas não eu, o Cristo vive em mim ”. Sua verdadeira atitude de espírito deve ser: “Abra esta Verdade para mim. Mostre-me a Presença de Deus. Revele o Cristo onipresente que já é minha própria consciência, mas que ainda não conheço!”

Essa é a ajuda que em primeiro lugar deveria vir do paciente se aproximando de um Praticante de Cura. Então, claramente, vem a vontade de tentar tanto o quanto possível, para manter o pensamento longe do problema, e perto das coisas espirituais da vida. “Tu o manterás em perfeita paz, cuja mente é mantida Ti.” Isso não é meramente uma citação bíblica. Essa é a verdade real! Deus nos mantém fisicamente, mentalmente em uma paz moral e financeira no grau que nosso pensamento está fora dos problemas da vida e nas realidades espirituais.

E assim perguntamos: Como podemos fazer isso? 

Isso vem através de ouvir um Professor ou um Praticante com alguma medida de Consciência Espiritual a quem podemos nos voltar para ser levantado. “Eu, se eu for levantado, atrairei todos os homens para perto de mim”. Novamente existe a necessidade dos Praticantes permanecerem em um alto nível dia e noite, de modo que todos que se voltam para eles possam ser levantados imediatamente a fim de que a consciência na qual eles são capazes de discernir a harmonia espiritual manifestada como saúde, harmonia e suprimento.

Então, também existe o estudo e a leitura de literatura inspiradora. Agora existe literatura metafísica para atender todos os gostos, todas consciências e todos devem encontrar aquilo que encontra o seu ou seu próprio estado de pensamento. Existem aqueles que exigem apenas o mais alto nível de literatura espiritual e inspiradora. Apenas aquilo que mantém sua consciência alta em Deus atende a sua necessidade. Há outros que estão tão sérios, tão desejosos de encontrar Deus, mas não pode responder a esse tipo de literatura e exigem mais do tipo mental, o que os faz pensar e racionalizar. Mais uma vez, há aqueles que exigem aquilo que centrará seu pensamento em oração e devoção.

Não pense que aquilo que foi recomendado para você atenderá a sua necessidade. Existem tipos de literatura que podemos ler que não são para nosso próprio estado particular de consciência, por isso seria muito bom deixá-las de lado por um tempo. Cada um deve encontrar aquilo que satisfaz sua necessidade. Não pense que aquilo que foi recomendado para você atenderá a sua necessidade. Cada um deve e encontrará a sua própria literatura.

Como você sabe, no meu caso, escrevo o que representa o meu estado de consciência como se aplica a Vida Espiritual – e devo dizer-lhe que não posso ler isso o tempo todo também. Não, sinto que gosto de mergulhar e encontrar algo no pensamento e consciência dos outros que existem por aqui, e alguns mais além.

Além disso, como parte deste trabalho, deixe-me mencionar de passagem, que não tenho qualquer interesse diferente de mostrar-lhe a minha própria tendência de pensamento – que acho um ótimo negócio nos livros Marchette Chute’s , “A Busca de Deus e o Fim da Busca”. Eles parecem responder algo em mim ao longo das linhas das Escrituras. Da mesma forma, por anos e anos gostei de Allen Boone “Cartas para os Corações Fortes” e “Você é o Aventureiro”. Eles são inspiradores em sua natureza e ajuda em manter o pensamento em um Nível superior.

Então, outro ponto para quem busca a Verdade e a Cura é: tanto o quanto possível, mantenha seus pensamentos longe dos programas de rádio comuns, tipos comuns de leitura e tipos comuns de filmes, com o intuito de manter mais o plano mental no Espiritual, e isso manterá a consciência aberta e receptiva para o influxo de Deus.

Um terceiro ponto é associar-se tanto o quanto possível, com aqueles que estão no mesmo caminho. Não há nada mais útil para o nosso progresso mútuo do que uma reunião com isso –  “Onde dois ou mais estão reunidos em meu Nome, lá Eu estou entre eles”. Quando as pessoas vem aqui procurando nada um do outro, sem pensar em suas mentes, mas apenas pela receptividade ao Cristo, você sabe muito bem que o Cristo está aqui para preencher essa necessidade. Ninguém nesta sala veio aqui para conseguir alguma coisa. Cada um sabe que não há nada para ser obtido de natureza material, apenas uma atmosfera do Cristo para todos compartilhar. E quando nos reunimos nessa atitude mental de expectativa, atitude mental de consciência aberta para Verdade, Deus, Amor, o que poderia resultar, senão Bom!?

E assim, toda reunião que podemos ter juntos neste nível espiritual de pensamento estará avançando nosso próprio progresso. Mas isso também deve ser moderado com julgamento, como seria não me faça bem e você não é bom, para ir de praticante para praticante ou professor para professor só porque eles estão apresentando uma mensagem mental ou espiritual.

Jesus nos deu a receita disto muitos anos atrás: “Minhas ovelhas ouvem minha voz.” Você, em suas orações, será conduzido à aqueles praticantes ou aqueles professores que podem conhecê-lo em seu nível de consciência, assim como nas minhas orações atraio à mim todos aqueles que são capazes de receber esta particular mensagem. Não porque é a melhor mensagem ou a de mais alto nível, mas porque é minha mensagem, a única mensagem que conheço.

E somente aqueles que podem receber esta mensagem deve ser atraídos à mim. E você deve se permitir ser moldado só para aqueles que podem encontrar sua necessidade espiritual – quem tem o pão especial para você. Disse para começar, que o assunto de Trabalho de Cura é interessante porque não tem nada a ver com um “processo”. Se Faz com o silêncio. O Trabalho de Cura tem que ser feito com o silêncio! Você sabe, e eu sei disso: pecado, doença e falta são irrealidades! Eles não tem, e nunca tiveram, um verdadeiro princípio causador, nada mais do que uma miragem no deserto poderia mostrar água real ou uma cidade real. Pecado e doença não tem princípio causador! O motivo disso é porque Deus é a Única Causa. Deus, mente ou alma é o único princípio criativo.

Portanto, tudo o que pode ser real é o efeito de Deus, o efeito do Espírito, o efeito da Alma. Então, tudo o que existe no reino do pecado ou da doença deve necessariamente existir como uma ilusão ou falso sentido que nós ao longo do tempo aceitamos. Sabendo disso, sabemos que quando nos voltamos para o Cristo com o objetivo de cura, nós não estamos realmente indo para lá com uma oração de: Deus “tire” esta doença ou esse pecado. Nós não estamos indo a Deus para qualquer coisa de natureza física.

Nós estamos indo para Deus, o Espírito eterno, então que sua sabedoria Divina e Onipresente pode dissolver para nós a ilusão do sentido – a imagem ilusória que no momento está aparecendo como pecado ou como doença.

As coisas de Deus são loucura aos homens, assim como as coisas dos homens são“loucura à Deus”. Não vamos a Deus para dizer-lhe o que reivindicar ou qual é a doença deve ser removida, ou que pecado, limitação ou falta, nem vamos a Deus para explicar nossa necessidade de dinheiro ou emprego. Nós vamos a Deus por um propósito – ouvir a pequena voz mansa e delicada.

Se tivermos algum outro propósito em ir para Deus, vamos deixá-lo aqui e agora!

Se você tivesse um pecado ou uma doença que Deus pudesse remover, então Deus não seria Deus, mas algo muito cruel. Ele devia ter removido isso muito antes de você ter orado por ajuda! O fato, então, de que você ainda tem um problema é a prova de que você não tem problema que Deus poderia ter feito algo sobre ou pode fazer alguma coisa sobre. Lembre-se disso: A única coisa que você está entretendo é um falso sentido de Deus e da criação de Deus. E o único lugar que você terá que corrigir isso é com   relação a Deus, mas não para dizer a Deus que sua necessidade é física, mental, moral ou financeira. De forma alguma, não é necessário tentar esclarecer Deus quanto à natureza do seu problema, ou também no sentido de dizer ao praticante qual é a dor. Nesta abordagem para a Cura Espiritual, o diagnóstico não faz parte. Nunca é necessário para qualquer um me dizer onde é a dor ou qual é órgão afetado, ou mesmo o nome da pessoa que precisa de ajuda. Pois eu também, “de mim mesmo não posso fazer nada”.

Agora, pergunte-se: “Se eu, eu mesmo, tinha o poder de curar alguém, eu não estaria fazendo isso neste minuto ao invés de gastar meu tempo falando sobre isso?

Não existe nada que eu possa fazer de mim mesmo e assim estou na mesma posição que Jesus estava quando ele disse isso. “Mas, o Pai dentro dessa Consciência Espiritual, o Espírito Divino pode e dissolve todo erro – todas as aparências de erro. Cada forma e fase da discórdia é superada, destruída, eliminada pela consciente realização da presença de Deus! E então, tanto por praticante quanto por paciente, que seja lembrado que o trabalho é feito através do silêncio – não necessariamente embora, sentado com os olhos fechados e esperando que Deus faça alguma coisa; que isso nem sempre é silêncio, embora seja às vezes uma boa preparação.

O silêncio é um estado de nossa própria receptividade, nossa própria consciência consciente sendo, seja com os olhos fechados ou ao estando dirigindo um carro. O silêncio é esse estado quando a consciência está alerta e os ouvidos estão abertos e receptivos para aquela pequena voz mansa. E nos preparamos para esse estado de receptividade, para esse estado de consciência, indo para a meditação ou o silêncio, quando despertamos de manhã. A meditação é apenas uma faceta desta bela jóia chamada cura de Cristo—apenas “uma faceta disso”.

Devemos aprender quando acordarmos de manhã, às vezes mesmo antes de levantar da cama, ficar em silêncio, lembrando apenas de alguma passagem como: “eu vivo, mas não eu, o Cristo vive em mim ”. Assim, abrimos espaço ali então para a entrada do Cristo com objetivo Dele ser o fluxo guia; o ponto de orientação da consciência; a influência da cura na consciência ao longo do dia.

Deixe espaço para essa influência de cura acordando de manhã!

Deixe o primeiro pensamento ser de abertura da consciência ao influxo do Cristo, o Pai interior. Estas “declarações” não fazem nada por você. Muitas pessoas estão andando para cima e para baixo na Terra, fazendo afirmações e repetindo citações assim e nada acontece. Todas essas declarações são de pouquíssima ajuda, tome minha palavra para isso: é a Realização Consciente do Presença de Deus que faz o trabalho! É o sentir verdadeiro da Presença de Deus. Chegar naquele lugar onde você pode sentir Deus dentro de você, pode sentir o Cristo interior, pode quase entender Paulo quando ele disse: “eu vivo, mas não eu, o Cristo vive em mim” quando você sente isso, você alcançou a consciência do Presença de Deus!

E então você tem a  influência da cura Divina, aquilo que vai antes de você a fim de endireitar os lugares tortos, que anda ao seu lado e atrás de você como Deus, como seu guia e sua proteção. Assim, você carrega consigo a sua própria influência de cura para que todos que conhecê-lo durante o dia sintam o estado-Cristo do seu pensamento. Não tem nada a ver com você como pessoa; Não tem nada a ver com o fato de você ser um humano bom. Tem a ver com o fato que Cristo se senta no trono!

Sua consciência está aberta para o Cristo e a Presença Divina está lá e é sentida, quando você alcançou a consciência consciente da Presença de Deus. Ao longo do dia devemos tomar tantos períodos quanto o nosso tempo ou o nosso trabalho permitir. Tire 5 minutos para ir ao banheiro por alguns minutos, e ser paciente e deixe que essa influência silenciosa venha sobre você novamente. Porque é a influência silenciosa, a influência de cura, que faz o trabalho para você e para todos que entre em contato com você no seu dia de trabalho. E lembre-se: Ele sai antes de você endireitando os lugares tortos.

Agora então, aquele silêncio que você tem através destes curtos períodos de meditação – esse silêncio se torna cura de Cristo em seu pensamento, e isso faz o Trabalho de Cura.

Agora, por alguns momentos, vamos entrar num silêncio real, um período real no qual vamos perceber que estamos todos em um lugar, onde somos todos Uma Mente. E nós vamos levar para o nosso pensamento: “eu vivo, mas não eu, o Cristo vive em mim.” Gentilmente e pacificamente, vamos deixar esse pensamento circular e percolar através da nossa consciência por algum tempo.

Lembre-se, você dedicou essa semana para a Realização do Presença e Poder de Deus. Não estamos terminando esta reunião às duas horas. Nós estamos continuando esta reunião passando por amanhã e no dia seguinte e no próximo.

E assim, estamos realizando que estará conosco até amanhã, esta continuação de desdobramento da consciência da Presença do Cristo. A Realização será o da harmonia, da paz. Externamente, aparecerá ao nosso vizinho como se tivéssemos algumas curas de discórdia física, mental, moral ou financeira, mas sabemos que isso não acontecerá. Tudo o que aconteceu é que o Cristo inundou nossa consciência e nos mostrou que não há pecado, doença, falta ou limitação. Não se permita pensar em seu problema, entre agora e amanhã. Se entrar em seu pensamento, insista que fique para trás de você.

Não vamos ter tempo nestas vinte e quatro horas para pensar em problemas.

Sua mente vai ficar em Deus: “Tu o manterás em perfeita paz, cuja mente permanece em ti”.

Presença do Cristo

Então, a maneira de pensar de Deus pode ser algo assim:

Deus, a Inteligência Divina deste universo, é a inteligência de toda a humanidade, seja aparecendo como homem, mulher, criança, animal ou planta, visível como vida, o fruto da vida. Deus, a alma Divina deste universo, é a alma de toda a humanidade.

Deus, o Espírito, é a substância de todas formas. Não há formas ou formação materiais. Tudo o que tem forma, tem uma forma espiritual e Deus é a substância dessa forma. Qualquer aparência ao contrário dessa forma espiritual é ilusão!

Deus é a mente de todo indivíduo.

Alguém que parece ter uma mente à parte de Deus, qualquer um alegando ter uma mente própria, não é nada mais nada menos que a tentação de aceitar uma mente separada de Deus. Não seja tentado. Não caia em tentação!

Sempre que você vê algum sinal de insanidade ou doença mental, perceba imediatamente que a tentação está chegando para você acreditando que o homem tem uma mente à parte Deus: Deus é a mente deste universo e de todos os homens; Deus é a alma de todos indivíduo; Deus é a vida eterna de todos: homem, mulher, criança, no céu e na Terra. Deus é a vida de todo indivíduo que já viveu na Terra agora, ou sempre viverá na Terra. Deus é a vida universal de todos os seres, portanto não há vida doente e sem vida, ou morta. Toda a vida é eterna, imortal e onipresente para aqueles de visão espiritual, e os de visão espiritual são aqueles que entraram neste acordo que Deus é Espírito, a substância de todas as formas. Deus é a substância de todas as formas e a lei de toda a formação.

Deixe que isso esteja com você até amanhã (Capítulo 3).

Joel – Palestras de San Franscisco – 1958



Categorias:Ensinamentos Joel S. Goldsmith

Tags:, , , ,

1 resposta

  1. Reginaldo, seu trabalho é precioso mesmo……….Parabéns e Gratidão Eterna.

    ________________________________

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para emiliaantonieta Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: