O TECIDO DESTE MUNDO

Cartas do Caminho Infinito – Junho 1957

O Princípio que é o segredo de toda cura é a compreensão da natureza do erro. O erro nunca é uma pessoa; isso nunca é uma coisa; nunca é uma condição. Portanto, nunca leve em consideração seu pensamento ou tente lidar com ele, ou com uma pessoa, coisa ou condição.

É verdade que o erro sempre aparece como pessoa ou condição, e foi isso que confundiu os obreiros espirituais do mundo. Com toda aparência de erro é despertada no indivíduo uma rebelião, um ressentimento, ou seja uma batalha contra uma pessoa, local, circunstância ou condição e com isto a luta está perdida. Nenhuma pessoa na Terra, ou nenhum grupo de pessoas, é seu inimigo; nenhum pecado ou doença é seu oponente ou antagonista. Quanto mais você lutar contra uma pessoa, uma doença, um pecado ou uma condição, mais você se envolverá no que podemos chamar de “este mundo”.

Você pode acreditar que existe algum indivíduo ou grupo de indivíduos entre você e sua harmonia e, a fim de realizar uma cura, você dá tratamento neles, tratamento “por” eles ou ainda dá o Tratamento no sentido de que “algo seja feito” sobre eles. Em outras palavras, você está em antagonismo, em ressentimento, em rebelião contra eles. Seus esforços são direcionados a eles, para removê-los ou harmonizá-los e, ao fazer isto, você perde sua demonstração. Pode não ser uma pessoa, mas alguma doença que está entre você e a Harmonia, e novamente você se vê envolvido em uma batalha com ela e, assim, cavar sua própria sepultura.

Lembre-se: pessoas, coisas ou condições nunca são a fonte de nossas discórdias. Sejamos claros nesse ponto tão importante: Existe uma força universal, uma crença universal, um hipnotismo universal (A Matrix) que é a fonte de toda discórdia que entra em nossa experiência. Toda limitação, todo pecado, toda tentação e toda doença que nos chega são apenas “o efeito” de uma força ou poder universal que, lembre-se, por si só, não é poder: é apenas poder por causa da aceitação da mente humana nisto. Se o erro fosse poder, não poderíamos dissipá-lo. No entanto, não é poder, exceto no sentido do mundo. A crença universal é o único poder que devemos considerar no encontro do pecado, doença, morte, falta ou limitação, e não é poder.

Para ilustrar, tomemos o caso de uma pessoa que está morrendo. Agora entenda o seguinte: nenhuma pessoa está morrendo. Se você for chamado a ajudar uma pessoa que parece estar perto da morte, lide com a crença universal secular de uma vida separada de Deus, uma vida que tem um começo e, portanto, deve ter um fim. Não tente salvar a vida dele porque você não terá sucesso; mas lide com o mesmerismo universal da morte, esse hipnotismo universal que diz que todo mundo que nasceu deve morrer. É esse mesmo hipnotismo que diz que nascemos, que fomos criados da matéria, nascidos do homem e da mulher. A crença de que você é pai ou mãe ou que nasceu de pai e mãe não é uma crença alimentada somente por você individualmente; não é pessoal; é uma crença universal que existe desde o início dos tempos. É uma crença universal no nascimento que resulta em uma crença universal na morte. O que estamos lidando não é nascimento ou morte, mas a crença universal, o hipnotismo universal, que aparece como uma pessoa que está morrendo, e essa pessoa não parecia estar morrendo, não fosse por causa da crença original de que essa mesma pessoa nasceu em algum momento anterior.

Suponhamos que agora você esteja sonhando que está nadando em direção ao horizonte. Ao olhar em volta, você descobre que foi longe demais e não consegue voltar. Então agora começa a luta. Você é tomado “pelo pânico” ao se encontrar sozinho, lutando, longe na água; mas há realmente uma luta? Tem água? Existe um “você”? Qual é o tecido e a substância da pessoa que você está vendo na água? Qual é o tecido e a substância da água? Qual é o tecido e a substância da luta? É o seu sonho, e apenas o seu sonho. O sonho é a substância; e você, a água e a luta são os objetos que são formados pelo seu sonho.

Se você pegasse um pedaço de couro e dele modelasse um homem em um canto, um piano à esquerda e um céu acima, você ainda não teria um homem, um piano nem céu: você teria couro. Se você destrói o couro, destrói o homem, o piano e o céu. Com a destruição do couro, o homem, o piano e o céu desaparecem. Assim, com a destruição do seu sonho, a falsa crença de você na água e na luta desapareceriam. Agora, em seu sonho de uma vida ou morte lutando na água, se alguém o despertar do sonho, você descobriria que, através do despertar ou desmembramento do sonho, automaticamente, seguiria o desmembramento do “você ”na água, da própria água e da luta.

O tecido das discórdias da experiência humana é um hipnotismo universal, uma crença universal. Esse é o tecido ou substância de todo senso de limitação que pode surgir em sua experiência, seja finanças limitadas, saúde limitada, família limitada, negócios ou relações sociais limitadas ou qualquer outra experiência discordante. O tecido disso é um hipnotismo universal, uma crença universal em um universo separado de Deus.

Quando Jesus disse: “Eu venci o mundo”, ele não quis dizer que havia vencido todas as pessoas no mundo e todos os males das pessoas no mundo. Seu ministério não durou um período de tempo suficiente para realizar tal feito. Mas ele venceu o mundo, e de uma só vez: ao perceber que o único mundo que precisava ser vencido era composto dessa ilusão hipnotizante. Então todas as pessoas, todas as circunstâncias e todas as condições de limitação desapareceram.

Joel – Cartas do Caminho Infinito – Junho 1957



Categorias:Cartas do Caminho Infinito

Tags:, , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: