Você poderia, por favor, dizer algo sobre a paternidade?

Este é um assunto muito difícil para mim. Eu fui pai apenas por procuração e não tenho os sentimentos que a maioria dos pais tem pelos filhos. Não conheço esse tipo de sensação, então não posso falar sobre isso. Eu amo crianças e elas me amam, mas não tem nada a ver com aquela emoção de amor que normalmente é sentida pelos pais por seus filhos ou pelos filhos por seus pais. É de natureza diferente.
Uma criança, para mim, é muito como um botão, uma flor. É novo e fresco e tem potencialidades infinitas e pode ser moldado. Não moldado à minha vontade. Muitas vezes ele é moldado de acordo com a vontade de seus pais, e às vezes, infelizmente. Mas pode ser moldado espiritualmente. Não sei se os pais podem fazer isso. Alguns podem, porque eu já vi isso acontecer. Mas quantos podem, não sei porque muito do que vejo da paternidade é apenas uma emoção animal, e isso não permite que os pais sejam objetivos ou vejam seus filhos espiritualmente.
Ver uma criança espiritualmente significa perceber que seu filho não é seu filho, mas o filho de Deus, outra das infinitas formas e variedades de Deus-ser enviado à terra com todas as potencialidades do Deus-ser. Se os pais podem ver seus filhos dessa maneira, isso ajuda a libertar a criança das limitações humanas. E como eu disse, nunca tendo sido pai, não sei como isso pode ser difícil. Mas conheci alguns pais que poderiam – alguns poucos. Ser capaz de amar uma criança dessa maneira é entender que sua natureza procede de Deus; que foi enviado a este plano de consciência não para ser filho de ninguém, mas para ser um instrumento para o bem na terra – tanto um instrumento quanto Jesus Cristo, ou Moisés, ou Buda. Cada criança é essa potencialidade. Agora, entender que uma criança não é limitada mentalmente por seus pais, avós ou bisavós, visto que é filho de Deus e sua mente é de Deus e sua fonte de inteligência e sabedoria é Deus, é libertar essa criança das limitações das relações familiares.

Da mesma forma, ser capaz de criar uma criança sem instilar medo – medo de atravessar a rua, medo de falar com um estranho, medo de nadar, medo de fazer isso ou aquilo – mas sim [criar a criança] com compreensão espiritual para liberar a criança em Deus; para elevar a paternidade a um nível bastante diferente do normal da paternidade humana. A paternidade humana é quase inteiramente egoísta, e temos que nos elevar muito acima disso para poder ver que cuidamos de crianças; nós somos seus fornecedores até que eles possam assumir essa responsabilidade. Somos seus guias, e ser capaz de fazer isso espiritualmente significa fazê-lo por meio da comunhão interior com Deus. Não significa ser uma pessoa dominadora, ditando a eles o que eles devem ou não fazer com base em nosso conhecimento humano. Significa, antes, criá-los com um mínimo de conversa e o máximo de mantê-los naquela comunhão interior com o Espírito, permitindo que sejam governados por Deus em vez de pelo homem.
Agora, eu não posso falar sobre a paternidade humana porque ela é apresentada ao mundo por meio de muitos métodos diferentes, e eu sinto a mesma coisa sobre a paz mundial. Eu não acredito que [criar a criança espiritualmente] jamais será realizado humanamente. Não pode ser. Terá que vir por meios espirituais. Não acredito que, por meio de nossa natureza humana, vamos encontrar uma maneira de criar filhos para trazê-los à sua herança legítima. Para nós, neste trabalho, a única maneira que temos de criar os filhos, a única maneira que temos de dar a eles sua liberdade, é dando-lhes o Espírito de Deus; para dar-lhes oração; para dar-lhes a comunhão; mantê-los firmes nesse relacionamento e ensinar-lhes continuamente a natureza desses males mundanos, para que, ao reconhecê-los, nenhuma tentação caia em seu caminho.

Conheço crianças que, aos dezesseis anos, quando solicitadas a sair e comprar aspirina para um visitante, dizem: “O que é aspirina? Eu nunca ouvi sobre isso.” Eles nem tinham visto um anúncio para isto. Não havia chegado à consciência deles. Eles foram tão educados na vida espiritual que nem mesmo saberiam o propósito de uma aspirina ou qualquer outra forma de medicamento. Eu já vi isso. Testemunhei inúmeras vezes famílias que passaram quinze, dezoito e vinte anos sem saber nada sobre a natureza de doenças graves ou acidentes ou qualquer coisa desse tipo, simplesmente porque os pais estavam mantendo aquela família na realização espiritual.
Pode ser feito. Isso pode ser feito da mesma maneira que um médico pode segurar seus pacientes – sejam por vinte pacientes, ou cinquenta, ou cem – de modo que eles fiquem quase imunes às discórdias do mundo. Um professor pode manter um corpo discente inteiro relativamente livre por longos períodos de tempo, mais especialmente se esses alunos estiverem cooperando. Por quê? A consciência superior eleva a consciência inferior ao seu nível. “Eu, se for elevado, atrairei todos os homens a mim.”

À medida que Eu sou elevado nesta consciência, conhecendo a natureza de Deus e a natureza do erro, e permanecendo nesta consciência de Deus, todos ou a maioria daqueles que estão morando comigo aumentam em algum grau de demonstração para melhor saúde, para maior suprimento e para melhores relacionamentos humanos.

Joel – [Trecho de A Fundação do Misticismo, páginas 296-299; Localização do Kindle 4056]



Categorias:Perguntas & Respostas

Tags:, , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: